Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

O FLUIR DO TEMPO CELULAR

O título deste post fui buscá-lo a um artigo com o mesmo nome publicado em De Rerum Natura da autoria de António Piedade, texto de que transcrevo um excerto

Crónica publicada no "Boas Notícias".


Henrique observa ao microscópio óptico uma gota de sangue. É fantástico o número elevado das células de cor vermelha que dão cor ao sangue. São glóbulos vermelhos, também designados por eritrócitos ou hemácias. Praticamente não consegue observar nenhum outro tipo de célula naquela amostra. Henrique olha para o quadro interactivo na parede da sala de aula e lê que num mililitro de sangue existem entre cerca de 4,5 a 6,5 milhões de glóbulos vermelhos! Ou seja, em dois mililitros de sangue existe mais ou menos o mesmo número de células do que habitantes em Portugal! Henrique olha de novo para a amostra de sangue através do microscópio. Apesar de cada eritrócito medir cerca de 0,007 milímetros, com a ampliação combinada das lentes oculares e objectivas do microscópio, consegue ver as células com um diâmetro aparente de cerca de 3,5 milímetros. Foca a sua atenção numa delas e observa que o glóbulo vermelho é uma célula sem núcleo. Todo o interior daquelas células em forma de disco bicôncavo parece homogéneo, como se todas as substâncias no seu interior estivessem igualmente distribuídas. Henrique regressa com o seu olhar ao quadro interactivo e lê, numa legenda sobre o interior do glóbulo vermelho, que o seu citoplasma é constituído maioritariamente por hemoglobina, uma proteína que possui na sua constituição átomos de ferro e que é responsável pelo transporte de oxigénio desde os pulmões até todas as células do corpo. Quanto tempo demora essa viagem? Quanto tempo é o carrossel sanguíneo, uma volta completa ao corpo? Depende de vários factores, sendo mais determinante o número de vezes que o coração bate e impulsiona o sangue num determinado período de tempo. Num adulto, com uma frequência de 70 batimentos por minuto, um glóbulo vermelho demora cerca de 20 segundos a percorrer a vascularização sanguínea que leva oxigénio desde os pulmões até a um dedo do seu pé e voltar de novo aos pulmões para se libertar do dióxido carbono produzido pelo funcionamento celular e renovar o seu carregamento oxigenado. Como uma hemácia vive em média 120 dias, Henrique calcula mentalmente que cada uma destes discos celulares passa cerca de 500 mil vezes pelo seu coração até ser substituído por outro glóbulo vermelho gerado na sua medula óssea, num processo designado por eritropoese.(...)



Sangue
60% plasma
40% células sanguíneas - Eritrócitos a vermelho, Plaquetas mais pequenas azuladas e leucócitos)



A imagem foi retirada daqui





Ao ler o texto senti necessidade de clarificar alguns conceitos. Procurei na NET e, em sites que me pareceram fidedignos dada a sua origem, colhi as informações que seguem.

Nas células eucariotas o núcleo está rodeado por una membrana nuclear, enquanto que nas procariotas não existe a dita membrana, pelo que o material nuclear está disperso no citoplasma Os seres vivos que são constituídos por estas células são denominados procariotas, compreendendo principalmente as bactérias, e algumas algas (cianofíceas e algas azuis) que também são consideradas bactérias.









Termino com poesia
Ritmo


Em legítima defesa


a roseira usou as suas garras.


O sangue que parecia azul


no emaranhado de vasos que me tatuam a mão,


agora, rubro como a rosa, a gotejar.


De imediato, plaquetas vigilantes


começam a urdir uma teia


para impedir as gotas rubras de fluir.


Com o plasma as demais plaquetas


continuam a viagem


entre leucócitos e eritrócitos, mais que um bilião.


E o coração pum…pum, sístole… diástole


O sangue a fluir entre os pulmões e o coração


a irrigar os órgãos um a um


E o coração pum…pum, sístole… diástole


O sangue infatigável a prosseguir viagem


a fluir venoso, arterial,


embora de aspecto sempre igual


e não azul e encarnado c


omo é por vezes ilustrado


Pum…pum, sístole… diástole,


e o coração sem paragem


num movimento ritmado,


que guarda na memória


até um dia em que não mais se lembra de pulsar

Regina Gouveia, não publicado


Poema do Coração


"Eu queria que o Amor estivesse realmente no coração,


e também a Bondade, e a Sinceridade,


e tudo, e tudo o mais, tudo estivesse realmente no coração


Então poderia dizer-vos:


"Meus amados irmãos, falo-vos do coração",


ou então:


"com o coração nas mãos".


Mas o meu coração é como o dos compêndios


Tem duas válvulas ( a tricúspide e a mitral)


e os seus compartimentos (duas aurículas e dois ventrículos).


O sangue a circular contrai-os e distende-os


segundo a obrigação das leis dos movimentos.


Por vezes acontece


ver-se um homem, sem querer, com os lábios apertados


e uma lâmina baça e agreste, que endurece


a luz nos olhos em bisel cortados.


Parece então que o coração estremece.


Mas não.


Sabe-se, e muito bem, com fundamento prático,


que esse vento que sopra e ateia os incêndios,


é coisa do simpático.


Vem tudo nos compêndios.
Então meninos!  Vamos à lição!


Em quantas partes se divide o coração?"

António Gedeão - Poemas

2 comentários:

  1. Lindo poema Regina . Julgo que as mitocôndrias são pequenos órgãos existente no citoplasma da célula eucariota, o qual é de origem feminina, e que são responsáveis pela criação de energia.
    Grande papel o da mulher, não acha?
    Julgo que não estou a dizer nenhuma asneira.

    Um beijo.

    ResponderEliminar