Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

ERRO AO ABRIR

Por razões que desconheço, o blog deixou de abrir na página inicial. Agradeço que "cliquem" nesta para aceder às mensagens.
Obrigada pela compreensão

terça-feira, 10 de julho de 2018

Após um interregno....


Desde a penúltima postagem (17 de Maio) até hoje haveria muito que contar mas, este ano, problemas de saúde a que já me referi e a que, infelizmente, vou ter que me referir de novo, levaram-me sistematicamente  a adiar  mensagens que gostaria de ter “postado” ao longo do tempo. Abri uma exceção, que justifiquei,  para a mensagem “Sons da viola e não só…

Vou então recuar no tempo, limitando-me às situações mais relevantes.
Como referi na mensagem de 28 de Abril, no dia 23 fui submetida a uma intervenção à coluna, na sequência de um quisto que surgiu na região lombar. O neuro cirurgião, Prof Dr Paulo Pereira, tinha-me confrontado com as várias hipóteses de intervenção: a menos invasiva- esvaziamento do quisto- resulta em muitos casos mas há outros em que o quisto volta a encher. Quando isso acontece passa-se à opção seguinte- extracção do quisto. Se essa falhar há ainda outras opções cada vez mais invasivas.
No dia 23 de Abril, foi-me feita a punção lombar para esvaziar o quisto
Como então referi, fiquei óptima mas, passado cerca de um mês e meio, comecei novamente a sentir algumas dores. No dia 31 de maio chegaram uns primos brasileiros em viagem pela Europa, que  vieram passar uns dias connosco. No dia 1 fomos  fazer um cruzeiro no Douro, que eles já tinham agendado no Brasil, contando connosco. Tinham começado por agendar o percurso Porto-Régua, para mim, o  menos interessante pelo que lhes sugeri  uma outra opção que também  estava disponível nesse dia. Fizemos o percurso Porto-Régua e Régua- Porto de comboio e Régua Pinhão, Pinhão Régua, de barco. O almoço foi a bordo e no Pinhão fomos a uma quinta. Adoraram. Nós já tínhamos feito Barca de Alva - Régua. Estes  passeios no Douro são sempre belíssimos.



Visita a uma quinta




No dia 7,  a minha neta Rita e o irmão participaram  na festa de final de ano do Grande Colégio Universal https://www.gcolegiouniversal.com/noticias . Curiosamente, a peça trabalhada pela turma do meu neto foi Era uma vez um ecoponto  do meu livro  Era uma vez Ciência e Poesia no reino da fantasia..



No dia 8 a  minha neta Marta participou   num espectáculo de teatro no Rivoli, integrado no programa Porto de Crianças mas não consegui uma imagem capaz...
No dia 15 (data da mensagem anterior), último dia de aulas para o meu neto José, este foi almoçar com alguns colegas e após o almoço ligou-me a perguntar se podia trazer com ele um colega para passar a tarde. Assim foi. Como à noite iria decorrer o espectáculo de teatro levado a cabo no fim do ano lectivo, pelo Grupo de Teatro que o meu neto  integra, liguei à mãe do colega  pedindo licença para o  levar connosco. Deixo alguma  imagens do espetáculo.





Assisti já com alguma dificuldade a estes eventos pelo que falei ao neurocirurgião.Uma nova ressonância à coluna revelou que o quisto estava a “encher “ pelo que havia que passar ao 2º grau de intervenção- extracção. Ficou marcada para 2 de Julho.
Entretanto houve o S. João, desta vez em casa do meu filho Miguel, aqui ao lado. Ainda arranjei forças para ajudar o meu neto Bernardo a fazer a cascata...


Como o meu marido tinha necessidade de ir a Trás-os Montes fui também e aproveitei para mandar  fazer a limpeza às duas casas. No dia 1 e, tal como no ano passado, a minha empregada a irmã, o marido e o cunhado foram ter à minha aldeia logo pela manhã. Todos trabalharam pelo que ao meio dia e 30 tudo estava limpo. Seguimos então para a outra aldeia onde almoçámos. Após o almoço seguiu-se a limpeza da casa que terminou  por volta das 18 h. As duas casas ficaram um “brinquinho”. Eu sabia que após a operação teria que estar um mês sem ir a Trás-os-Montes  pelo  que  o problema da limpeza ficou resolvido. Assim, quando chegar para passar férias, está tudo em ordem. Nos dois dias que passei na minha aldeia, do meu terraço  ainda fotografei uns pores do sol, embora fraquitos...



No dia 2, às 13 h, estava na CUF para a intervenção, desta vez com anestesia geral e internamento (num quarto com vistas para o mar.... ) Correu muito bem pelo que saí no dia seguinte ao fim do dia.



No próximo fim de semana os meus netos Marta e José vão atuar mais uma vez no concerto de verão da Teclarte e a Rita a e a Marta vão atuar no Coliseu, no bailado D. Quixote promovido pela Academia de Dança da Boavista

Há dias voltaram a florir os catos no meu "jardim" .Aqui ficam imagens


Termino com música:
Durante a viagem que fiz ao Nordeste (acima referida) ouvi, na antena 2,  referência ao compositor e maestro Rafael Kubelik

Na NET encontrei este vídeo

E porque as minhas netas vão dançar D. Quixote, aqui fica um pas de deux do 3º ato


sexta-feira, 15 de junho de 2018

Sons da viola e não só....


Num mail que me foi enviado, tomei conhecimento da mestria de Marcus Biancardini,  violista excepcional dono de uma técnica extraordinária a serviço de uma musicalidade igualmente excepcional. (sic)

Decidi então dedicar esta mensagem à importância dos  instrumentos de corda  na música, ao longo dos tempos 


Começo com a sonata nº 10 de Corelli


 

Incluo agora  excertos do concerto para dois violinos e cordas de Bach, do concerto  nº 5 para violino de Mozart da sonata nº 5 para violino de Beethoven e do concerto opus 35 de Tchaikovsky

 







https://www.youtube.com/watch?v=SkyA09JitSg



 https://www.youtube.com/watch?v=CTE08SS8fNk

De seguida,   André Segóvia interpretando Bach e Paco de Lucia no concerto de Aranjuez de Rodrigo






Passo agora a autores e intérpretes em língua portuguesa: Carlos Paredes, José Afonso, Amália Rodrigues e Chico Buarque









Também na  poesia e na pintura vários autores  imortalizaram instrumentos de corda
No que respeita à pintura  refiro  Amadeo Souza -Cardoso

Na poesia refiro Camilo Pessanha, in Clepsidra…
Violoncelo
Chorai arcadas
Do violoncelo!
Convulsionadas,
Pontes aladas
De pesadelo...
De que esvoaçam,
Brancos, os arcos...
Por baixo passam,
Se despedaçam,
No rio, os barcos.
Fundas, soluçam
Caudais de choro...
Que ruínas, (ouçam)!
Se se debruçam,
Que sorvedouro!...
Trêmulos astros,
Soidões lacustres...
_ Lemes e mastros...
E os alabastros
Dos balaústres!
Urnas quebradas!
Blocos de gelo...
_ Chorai arcadas,
Despedaçadas,
Do violoncelo.


Finalmente e porque a música está em íntima relação com a física termino com  um vídeo muito breve 

quinta-feira, 17 de maio de 2018

O segredo da felicidade….

O segredo da felicidade é encontrar a nossa alegria na alegria dos outros.
Alexandre Herculano
Quando uma porta da felicidade se fecha, outra se abre, mas costumamos ficar olhando tanto tempo para a que se fechou que não vemos a que se abriu. 

Helen Keller

Ser feliz
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
Apesar de todos os desafios,
Incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas
E tornar-se um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si,
Mas ser capaz de encontrar um oásis
No recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um “não”.
É ter segurança para receber uma crítica,
Mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo-as  todas, um dia vou
Construir um castelo …”

Fernando Pessoa


Às vezes basta tão pouco para se ser feliz...
Regressei ontem de Trás-os-Montes, onde fui passar o fim de semana. Os problemas de saúde que me massacraram durante 6 meses, levaram a que tivesse lá ido apenas uma vez, mas à minha casa não ia desde Setembro.
Os campos floridos foram uma bênção para o olhar… 






Tão só esta papoila...





Os tufos cor de rosa são de azedas floridas. As azedas crescem geralmente nos muros e as folhas são comestíveis, essencialmente em saladas, e são ótimas



O planeta terra é pródigo em belezas naturais mas algumas são pouco acessíveis como, por exemplo, a cascata ardente que podemos ver neste vídeo





sábado, 28 de abril de 2018

Não há mal que sempre dure…..



Não há bem que sempre dure, nem mal que nunca se acabe... diz o ditado

No início de novembro,  a minha qualidade de vida, óptima até então, salvo raras e breves exceções,  começou a ficar reduzida. Comecei a ter muitas dores na anca  esquerda, com duas crises violentas em que desmaiei.  O ortopedista mandou-me fazer vários exames à anca e um RX à coluna, que só identificaram  uma bursite no trocânter e  várias tendinites na coxa. Comecei então com uma panóplia de tratamentos: fisioterapia, infiltrações, ondas de choque, ulrassons,  laser.  O meu filho Miguel e a minha nora são muito amigos de um casal  em que a senhora é  fisiatra e o marido neurocirurgião. Por insistência deles fui ouvir a opinião da senhora. Sugeriu que fizesse uma RM à coluna. Constatou-se que, a par do problema na anca e na coxa, que ainda subsiste embora minorado, eu tinha um outro, independente do primeiro- um quisto na coluna, responsável pelas tais crises violentas. Para avaliar a importância do quisto, o ortopedista mandou-me fazer uma eletromiografia onde não foi muito valorizado o quisto.  As melhoras não surgiam, bem pelo contrário. De manhã ainda andava mais ou menos, mas ao fim do dia já quase não conseguia andar. Fui vista então pelo neurocirurgião amigo  do meu filho. Mal viu a ressonância, disse que o quisto devia  ser extraído o mais brevemente possível.  E assim foi. Extraiu-mo na passada segunda feira e fiquei óptima.
Eis o malfadado quisto que tanta dor me causou ….



Claro que vou ter que resolver ainda o problema da anca e da coxa mas esses são perfeitamente toleráveis.
Creio que nunca tinha tido esta sensação fantástica de entrar algures (neste caso num  bloco operatório) com muitas dores e limitações e sair a andar perfeitamente  e sem dores.

Família e amigos andavam preocupados pois nunca me tinham visto tão limitada e por tanto tempo. Uma amiga minha de infância que vive em Setúbal,  veio visitar-me após a  intervenção e ficou espantada de me ver como se nada me tivesse acontecido durante os 6 meses anteriores

God save the doctors…

Passados dois dias da intervenção, e porque ainda não tinha visitado a Casa da Arquitetura em Matosinhos,   aproveitei a presença da minha amiga e fomos até lá, juntamente com o meu marido. Está patente uma exposição muito interessante

“OS UNIVERSALISTAS – 50 ANOS DE ARQUITECTURA PORTUGUESA” INAUGURA A 13 DE ABRIL
Depois de em 2016 ter estado patente na Cité de l’Architecture et du Patrimoine, em Paris, a mostra “Os Universalistas – 50 anos de arquitectura portuguesa” é  apresentada pela primeira vez em Portugal, na Nave Expositiva da Casa da Arquitectura, em Matosinhos, de 13 de abril a 19 de agosto.

A exposição merece ser visitada. Também o edifício, que pertencia à Companhia Vinícola Portuguesa, é interessante. Deixo algumas imagens .





Ainda tentámos ir à casa do Design, também em Matosinhos, mas como não levámos GPS, não conseguimos descobri-la embora soubéssemos qual a rua e tivéssemos visto a foto na NET(em baixo). As pessoas a quem perguntávamos ignoravam a sua existência.




Durante todo o tempo de “clausura” (as minha únicas saídas eram para os Hospitais Lusíadas ou CUF…) li e reli bastante, como já referi  em mensagens anteriores e por duas vezes tentei pintar, aproveitando umas telas de que não gostava. Aqui vai o produto do trabalho (técnica mista- colagem de rede de cortina, acrílico e pastel de óleo)





quinta-feira, 12 de abril de 2018

O Sol quando nasce...

O Sol quando nasce é para todos- reza o aforismo...É certo que não nasce para todos ao mesmo tempo, mas nasce...
A justiça, essa só nasce para alguns....

Uma bola no estômago em forma de raiva, e vergonha, e tudo

“Um nojo que cresce, e a vida como se nada fosse. Uma bola no estômago em forma de raiva, e vergonha, e tudo. Ricardo Salgado vê a sua caução ser reduzida para metade pelo Tribunal Central de Instrução Criminal. Dos antes 3 milhões, terá que pagar apenas um milhão e meio para limpar a sua vida que não tem por onde ficar mais suja. Na mesma semana, como nos filmes maus, fica a saber que a sua reforma vai triplicar para um valor de 90.000€. Isto num país que tem de encontrar moedas entre as almofadas do sofá para pagar o dia de amanhã”, escreveu o humorista  Bruno Nogueira na sua página de Facebook.
“E a vida segue, e o sol nasce, e nada acontece. A impunidade a qualquer preço num país que não merece ser pontapeado desta maneira. A mer** que passa e acena a quem fica. O nojo que cresce. Mer** por todo o lado, e mais mer**. Merecíamos melhor. Merecíamos que a corrupção fosse punida por quem tem a responsabilidade jurídica e moral para o fazer. O país a ser defendido por nada. O que nos protege é um antibiótico que mata. Vítimas do BES com vidas destruídas por alguém que agora sai premiado. Mereciam melhor. É um país ao contrário, que já perdeu os sapatos, calça meias de cores diferentes e nada acontece. Amanhã tudo segue como ontem. Nada acontece a quem compra a liberdade nas traseiras de tudo. Assim é difícil acordar todos os dias. Assim é difícil não querer chamas e fogo e gritos. Feitas as contas, assim é difícil encontrar Portugal”, sublinha Bruno Nogueira. in https://www.jn.pt/nacional/interior/bruno-nogueira-enojado-com-justica-portuguesa-4873341.html

No Brasil, Lula foi preso. Pessoalmente  não acredito na sua inocência tal como não acredito na de José Sócrates, mas pergunto:
E  Collor de Mello ? E Michel Temer ?   E Ricardo Salgado? Isto só para nomear alguns, muito poucos…

Tandem obtinet justitia (A justiça tarda mas não falha)- o aforismo já vem de longe mas continua a faltar-lhe o acrescento  mas só para alguns...

 Dissonância

Pego na palavra sinfonia e faço-a ressoar.
Faço-a rimar com fantasia, com alegria.
Pego na palavra dança e faço-a voltear.
Faço-a rimar com esperança, com criança.
Mas eis que o som sai desafinado,
e na dança um passo é trocado.
Sinfonia e dança rimam com horror,
criança passa a rimar com dor.
Vêm-me à memória barbaridades da história,
escravatura, exploração,
campos de concentração,
Hiroshima, Bhopall, Chernobill,
os meninos da rua no Brasil,
a prostituição  infantil, a pedofilia,
a corrupção,
barbaridades com e sem nome, 
crianças com fome, com leucemia.
Tapo os ouvidos e bloqueio todos os sentidos.
Não quero mais sentir tal sinfonia.

Regina Gouveia (2002)

E por falar em tardar, também a primavera tarda...

Tudo se conjuga para uma certa tristeza... Nestes momentos, refugio-me na música...


Já que falei na primavera, deixo dois vídeos sobre A sagração da primavera de Stravinsky.

https://www.youtube.com/watch?v=jF1OQkHybEQ bailado


https://www.youtube.com/watch?v=ACzkbiez2UU

sábado, 31 de março de 2018

Feliz Páscoa

A todos os seguidores desejo uma Feliz Páscoa 2018

quinta-feira, 15 de março de 2018

Até sempre, Stephen Hawking


Confesso que o prazer que me proporciona a física quando as coisas correm bem é muito superior ao da música. Mas isso só ocorre muito poucas vezes numa carreira profissional, ao passo que se pode ouvir um disco sempre que se queira.

Isto disse Stephen Hawking em 1992, numa entrevista para o programa de rádio da BBC “Discos da Ilha Deserta” e de que pode ser lido aqui um excerto  (http://archivo.e-consulta.com/blogs/consultario/la-musica-de-stephen-hawking/)

Hawking, que nasceu a 8 de Janeiro de 1942, faleceu ontem, dia 13 de março, aos 76 anos.

A morte foi comunicada à imprensa inglesa pela família. "Estamos profundamente tristes pela morte do nosso pai hoje", disseram os filhos Lucy, Robert e Tim. "Era um grande cientista e um homem extraordinário, cujo trabalho e legado viverão por muitos anos".

Hawking, um dos mais prestigiados nomes da ciência, revolucionou os estudos sobre os buracos negros, nunca deixando de se indagar sobre a origem do Universo. Excelente divulgador, explicou o tema ao público em geral, no livro "Uma breve história do tempo", 


Mais alguns pormenores do seu percurso podem ser lidos em https://dererummundi.blogspot.pt/2018/03/stephen-hawking-1942-2018.html#comment-form
num texto do Prof. Carlos Fiolhais


Ao mesmo tempo que provocava, com humor e inteligência, o que sabíamos sobre o cosmos, desafiava os próprios limites da vida humana
Aos 21 anos foi-lhe diagnosticada  esclerose lateral amiotrófica (também conhecida como a doença de Lou Gehrig) e um tempo de vida  máximo de três anos. A doença veio a afectá-lo gradualmente, ao ponto de apenas conseguir mexer pouco um dedo e piscar os olhos, mas o físico fintou o diagnóstico. Com a ajuda de uma cadeira de rodas e de um sintetizador de voz, ultrapassou em quase cinco décadas o tempo de vida  previsto,  sem nunca prescindir de participar na comunidade científica.

Em 2007 participou num voo para "sentir" a gravidade zero que pode ser visto aqui 

Em 2014, a sua história de vida foi contada no filme "A teoria de tudo", que poderá ser visto aqui





O papel foi interpretado por Eddie Redmayne que comentou 
http://www.adorocinema.com/noticias/filmes/noticia-138669/)

"Perdemos uma mente verdadeiramente bonita, um cientista surpreendente e o homem mais engraçado queeu já tive o prazer de conhecer. Meu amor e meus pensamentos estão com a sua família extraordinária".

Cum uma personalidade tão fascinante, não é de estranhar que “aceitasse figurar” em filmes ao lado de Homer Simpson 





e em Star Trek TNG, Season 6

O Prof https://dererummundi.blogspot.pt/2018/03/stephen-hawking-1942-2018.html#comment-form

Termino com a referência a uma entrevista, com que comecei esta mensagem. Ao longo da mesma, Hawking foi revelando algumas das suas preferências musicais. E é com algumas dessas preferências que eu presto uma modestíssima homenagem a um ser humano excecional.

Até sempre Stephen Hawking


Gloria, de Poulenc 

https://www.youtube.com/watch?v=9A1yGkgmviE

Concerto para violíno de Brahms.



Non, je ne regrette rien, Edith Piaf


Quarteto de cordas, opus 132 de Beethoven. 



Réquiem de Mozart.  



Please Please Me   Beatles



Nessum Norma de Tarando de Puccini