Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

sexta-feira, 4 de março de 2011

“Sou um carpinteiro da pintura”

“Ontem fui assistir na FBAUP às provas de Mestrado do meu professor de pintura, Domingos Loureiro. A arguente foi Isabel Sabino.
Brilhante a arguente, brilhante o candidato.

Domingos Loureiro é um jovem artista, em início de carreira, mas já com provas dadas de qualidade e talento. Loureiro Podemos ter aqui um ideia do currículo do candidato (incompleto na medida em que só estão incluídas obras até 2009)
A paisagem está muito presente em toda a sua obra, mas numa perspectiva de contemporaneidade. Entre as suas obras contam-se  trabalhos notáveis em madeira, onde as árvores se tornam o  objecto predilecto de representação
Um dos muitos exemplos deste trabalho é a obra “Arqueologia de um lugar”, que se encontra no Largo do Centenário, em Valongo.
Quando do seu casamento, os alunos do atelier de pintura quisemos manifestar-lhe o nosso carinho e consideração. Pessoalmente escrevi um poema para o evento em que faço referência à dita obra

Numa praça da vida


Eros avistou uma árvore


e decidiu fazer dela um símbolo de amor


Sulcou-a de linhas sinuosas


a lembrar aquela outra


feita de utopia e de realidade


erguida no Centenário, o Largo da Cidade


Foi Eros que inspirou o jovem escultor


ou, pelo contrário,


foi na sua obra que Eros se inspirou?


Regina Gouveia

Sou um carpinteiro da pintura” disse em 2005, quando entrevistado pela revista “As cidades e a serra”.

Ns seus último trabalhos, que podem ser vistos no Fórum de Ermesinde até 27 de Março,
a paisagem continua presente, desde o título Volver paisagem às obras que podem ver aqui
Na obra que figura no cartaz de apresentação vê-se o “avesso” da pintura ….

Mas regressando à defesa da tese, O júri referiu-se ao talento do artista, à sua generosidade e modéstia.

Contrariamente a alguns intelectuais jovens e não só, cuja petulância esconde muitas vezes uma mediocridade tangível, Domingos Loureiro oculta, por detrás da sua modéstia , um enorme talento e uma enorme generosidade.

7 comentários:

  1. Parabéns ao professor Domingos!
    Gostaria de ter ido assistir à sua defesa da tese, tenho pena de não ter sido informada. O jovem professor é tudo o que afirmas aqui e muito mais, pois todo o seu trabalho evolui dum modo extraordinariamente versátil e belo e nunca se sabe o que vai ainda acontecer, dado que ele é tão novo. Gosto de o conhecer, gostaria de o ver e de lhe dar um abraço pessoalmente. Fá-lo-ei na próxima 5ª feira na Utopia, onde irei buscar uns quadros que tenho lá e ver a "malta".

    O teu poema é lindissimo, já o tinha dito...e ele merece-o plenamente.

    Bjo

    ResponderEliminar
  2. Com a vida ocupada que tenho tido ultimamente, não ne lembrei de te avisar. Desculpa. Aliás eu nem contava poder ir mas consegui, embora tivesse chegado um pouco atrasada.
    Parto amanhã para a"neve"( vou como baby sitter...) e só regresso no fim da próxima semana.
    Um ab
    Regina

    ResponderEliminar
  3. Também tive muita pena de não ter ido assistir à tese do Domingos mas, infelizmente, estou imobilizada,de perna ao alto com talas e ligada, devido a uma queda que dei no domingo. Fazia nesse dia anos de casada.....Há um ano atrás, nesse mesmo dia tambem fui de urgencia para o hospital pois fiz traumatismo craniano, devido à queda de um busto em fibra de vidro que caiu de uma prateleira de uma loja, em cima da minha rica cabecinha.....enfim ...concluindo: Não quero fazer mais anos de casada.
    Peço desculpa de me ter alongado tanto na minha justificação de falta de presença à tese do MESTRE. Este sim.... está (e merece) os PARABENS. Já agora acrescento: A nota final foi 19 VALORES, sabiam?

    Parabens à Regina pelo poema que lhe dedicou.
    Beijinhos para todos e até à vista (mais 3 semanas e logo se verá quando posso caminhar.

    ResponderEliminar
  4. Parabéns Regina, pelo poema e pelas palavras elogiosas ao nosso querido Mestre, acho que entrou no amago da questão ao referir as palavras do júri, referindo-se-lhe ao talento à sua generosidade e modéstia.Parabéns também ao Mestre pois bem os merece
    GD

    tao intimamente

    ResponderEliminar
  5. Parabéns ao "meu" Professor, também! Merece tudo o que dele disseram. Também não fui, porque não sabia, mas outros foram e, portanto, esteve bem acompanhado. A nota foi excelente! Outra coisa não era de esperar. Regina, foi bonito da sua parte fazer esta referência no seu blog...
    Bjs. M.Eugénia

    ResponderEliminar
  6. Obrigada a todos. Sei que partilham do meu sentimento de estima e consideração pelo Professor que tivemos a sorte de encontrar
    no nosso caminho.
    Obrigada ao Professor, aos colegas e à Utopia
    Um abraço para todos
    Regina

    ResponderEliminar
  7. Bonita homenagem ao pintor Domingos Loureiro.

    Um bejjo.

    ResponderEliminar