Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

sábado, 10 de outubro de 2015

De Olímpia a Delfos

No dia 24 de manhã  começámos por visitar o sítio arqueológico do Santuário de Zeus, as instalações do estádio olímpico onde em tempos se realizavam os Jogos Olímpicos e o Museu Arqueológico de Olímpia
No  sitio arqueológico de Olímpia destaca-se no centro o Altis, recinto sagrado e coração do santuário, com os seus templos, o Templo Clássico de Zeus e o Templo inicial de Hera, e os tesouros.Também no Altis está o Philippeion, um elegante edifício circular dedicado a Filipe II, rei da Macedónia. O espaço remanescente dentro do Altis foi preenchido por numerosos altares e estátuas de deuses, heróis e vencedores olímpicos 
Sobre os restos de um assentamento pré-histórico de Olímpia está o Pelopion, um monumento funerário que comemora o herói Pelops (referido na mensagem anterior). 
Fora do recinto sagrado do Altis, está uma série de edifícios para o pessoal do santuário (o Teokoleion, residência dos sacerdotes), para os atletas (o ginásio e a palestra) e para os visitantes importantes (o Leonidion, os banhos Gregos com sua piscina, os banhos quentes Romanos) e a oficina do escultor Fidias (posteriormente transformada numa igreja Cristã).
A leste do Altis ergue-se o estádio onde se realizavam os Jogos Olímpicos. A sul do estádio estava o hipódromo, do qual nada resta. A sul do hipódromo  um grupo de mansões e banhos, incluindo a famosa casa de Nero, construída pelo Imperador para a sua primeira estadia em Olímpia, durante a sua participação nos jogos. Para poder participar, impôs que os jogos incluíssem poesia e música para ele poder concorrer. Ganhou, sempre que concorreu...
Embora historicamente os jogos tivessem começado em 776 a.C.,  considerada a primeira Olimpíada, ter-se-ão  praticado desde os tempos muito antigos A sua origem  é envolta em mistério e lendas. Um dos mitos mais populares identifica Hércules e Zeus, seu pai, como os seus criadores.
De quatro em quatro anos, pessoas de todas as partes da Grécia reuniam-se em Olímpia, a fim de competir e assistir aos Jogos. O prémio para o vencedor era o "kotinos",  coroa de folhas de oliveira. Durante  os jogos, e se em tempo de guerra, era respeitada uma trégua, 
.https://www.youtube.com/watch?v=K8ztMlmavBw

Deixo algumas fotos tiradas no santuário e no estádio onde a visita terminou e em que eu corri (precisamente 1 estádio, 192m )

 

 






 Eu a correr no estádio...

 
 Escavações continuam no ginásio que estava oculto debaixo das terras que os dois rios vizinhos ali terão depositado

Após a visita ao estádio caminhámos até ao Museu Arqueológico de Olímpia de que deixo algumas fotos.






 






 De Olímpia seguimos para Delfos. Fizemos uma paragem em Nafpactos (Lepanto) onde decorreu a famosa batalha de Lepanto, A Liga Santa, formada pela República de Veneza, Reino de Espanha, Cavaleiros de Malta e Estados Pontifícios, sob o comando de João da Áustria  venceu o Império Otomano no dia 7 de outubro de 1571, ao largo de Lepanto.  Esta batalha, em que combateu Cervantes e ali perdeu o seu braço esquerdo,   representou o fim da expansão islâmica no Mediterrâneo.
Lepanto é uma pequena e graciosa cidade costeira, fortificada pelos venezianos  no século XV.




Monumento a Cervantes

De Lepanto seguimos em direção a Delfos, estância turística de inverno, pela proximidade de pistas de ski.
Ao longo da estrada, na subida, avistámos no vale conhecido como  "mar de oliveiras", olivais extensíssimos, ao que parece com quatro milhões de oliveiras,

"Mar de oliveiras", a extensa mancha verde  no vale.

Chegámos a Delfos ao fim do dia. Deixo duas fotos tiradas do hotel



Na primeira mensagem partilhei convosco a música de Giorgos Zambetas. Hoje termino  partilhando  a de Yannis Marcopoulos

https://www.youtube.com/watch?v=Y5oaLNgpRNE



2 comentários:

  1. Também já estive na Grécia, em autogestão e o meu comentário era no sentido de saber a diferença para agora, por isso me senti desiludida com as " lições " sobre a história da Grécia que com este nome e como país só existe há 200 anos!

    ResponderEliminar
  2. Não sei se leste a resposta ao teu comentário anterior onde justifico o teor da mensagem. Na mesma também refiro que a Grécia como estado existe desde 1830 ou seja ainda não fez 200 anos...
    Ab
    Regina

    ResponderEliminar