Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Compromissos



 No dia 16 , a convite da Biblioteca de S. Lázaro fui fazer duas sessões com alunos do 1º ciclo, dentro de um projecto que se chama À descoberta da Química. Se não tivesse assumido o compromisso anteriormente, possivelmente não teria ido pois tenho estado com um edema da laringe e o médico prescreveu muito repouso de voz..
Esta minha intervenção insere-se num conjunto de três actividades: 
-a exploração do meu livro Breve História da Química, investindo em pequenas actividades experimentais e adaptando o texto ao nível etário em causa, 
-uma visita a um Laboratório de Química do ISEP e 
-apresentação da peça pelo grupo de teatro 3Pancadas.
As sessões acima referidas inserem-se na primeira actividade
No início de cada sessão (uma turma por sessão) referi a minha dificuldade em elevar a voz. Os miúdos da primeira sessão foram fantásticos. Entenderam e por parte deles não se ouvia qualquer som excepto quando queriam fazer alguma intervenção. Neste particular houve uma grande diferença entre as duas sessões. Na segunda, embora também estivessem interessados, intervieram anarquicamente. Estas diferenças de comportamento genericamente têm muito a ver com os professores. Não sei se foi o caso mas enquanto que na primeira sessão a professora e auxiliar se sentaram junto dos miúdos e revelaram muito interesse, na segunda sentaram-se fora do núcleo das crianças e conversaram todo o tempo. Admito que pudesse ser sobre problemas da escola, mas não deixa de ser um mau exemplo.

No dia 17 e também na sequência de um compromisso anteriormente assumido, estive na Biblioteca da Maia com alunos de 9º ano. Também aqui os alunos respeitaram a minha dificuldade em elevar a voz. No fim colocaram várias questões mas só depois de muito estimulados..



No dia 23 , a convite das Bibliotecas Escolares de Macedo de Cavaleiros  e a propósito da Breve História da Química,   estive na V Feira do Livro de Macedo de Cavaleiros que decorria na parque de exposições de S. Pedro. Houve  duas sessões, cada uma com 4 turmas.
Também aqui, não quis deixar de honrar o compromisso …
O grupo de teatro deveria ter-me acompanhado mas não foi possível, por razões de saúde de um dos elementos,
Não posso dizer que os alunos tenham estado mal mas sentia-se que alguns estavam pouco interessados. Salientou-se uma aluna porque tinha uns conhecimentos muito razoáveis sobre química e não só.
É um facto que o espaço não era o mais adequado para as sessões. Muito grande, com péssimas condições acústicas…
Ali estavam várias bancas com livros e uma “réplica” de uma casa rural de outros tempos com peças essencialmente cedidas pelo Museu Rural de Salselas,.
Os professores com quem estive foram extremamente afáveis e mais uma vez senti o desencanto face à profissão pela forma como continuam a ser “desrespeitados”, pela burocracia sem sentido, etc
Sensibilizou - me um gesto de solidariedade para com um colega a quefoi detectada uma doença rara. Em Portugal não encontraram solução para o seu caso. Esperava-o a morte. Soube que na Alemanha poderia ser tratado mas a ADSE não comparticiparia e os custos rondam os 100.000 euros. Desenvolveu-se uma grande campanha de solidariedade na escola e já foram conseguidos 30.000 euros.

Essa solidariedade lembrou-me os ideais de um outro abril, cujos cravos já murcharam há muito…
Já murcharam tua festa pá...



2 comentários:

  1. Até que a Voz te doa...não é Regina?

    Bem aventurados os meninos e meninas que descobrem a Química assim...

    Espero que descanses no nordeste, pois ainda há muito por fazer.

    Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  2. Olá Regina
    Antes de mais quero desejar-lhe muito umas rápidas melhoras e, mais uma vez, expressar a minha admiração pelo grande contributo que continua a dar ao ensino.
    Quanto à Festa de Abril, as sementes esquecidas num canto do jardim acabarão por florir, quem sabe se mais viçosas ainda!!!!

    Um beijo.

    ResponderEliminar