Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Breves...

Já foi há mais de uma semana.

No dia 19, na galeria Vieira Portuense, foi inaugurada uma exposição da artista galega Cármen Santaya
A par deste evento, e como é habitual no terceiro sábado de cada mês ,a poesia esteve presente pela voz de Constança Nery, Lurdes dos Anjos, Jorge Vieira, Eduardo Roseira, entre outros.

Um primeiro momento foi dedicado a Chico Buarque . Foi lida poesia do "cantautor", Carlos Andrade tocou e cantou algumas das canções mais emblemáticas e Eduardo Roseira representou excertos de “O leite derramado” livro a que já uma vez aqui me referi e que acho fantástico.

Podem ver aqui a actuação de Eduardo Roseira .

E já que se tratou de Chico Buarque , deixo três vídeos do autor  em canções relacionadas com o Carnaval

http://www.youtube.com/watch?v=zu2B2z9XRxQ&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=NJPOSsy5MNo&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=a62maWloQHQ&feature=related

Após o momento dedicado a Chico Buarque, seguiram-se dois outros  dedicados à poesia de vários autores. Só assisti ao primeiro pois a sessão alongou-se muito.
Mas valeu a pena.



Hoje, 27 , acabo de chegar do meu Nordeste florido

Como não podia deixar de ser, fui à Galeria do Centro Cultural José Rodrigues (Alfândega da Fé). Estava uma exposição de lenços de namorados
Deixo-vos com fotos da exposição e de amendoeiras em flor. São da autoria de Fernando Gouveia.




 Este é um lenço maior; lenço de casamento





Flores de amendoeira



As flores de amendoeira, antes da Primavera,


cobrem a ladeira como um branco véu


ou como vestes de anjo que se esfumou no céu.


Impressa no código genético a química magia


da ebúrnea cor que recende a nostalgia
Regina Gouveia in Magnetismo terrestre




1 comentário:

  1. Olá Regina, escrevi um comentário ao seu "post" enviei-lho, mas não sei o que fiz que os commentários desapareceram todos do meu computador. Terá chegado até si?
    Vou só referir uma pequena apreciação do Museu do Coa, que por si só teria valido a viagem, onde fui com a UPP. A arquitectura, as réplicas das gravuras, a expicação da guia, que fez um belo paralelo entre o homem de Hoje e o homem do Paleolítico,a arte moderna expressa na Mandala de Alberto Carneiro e na própria concepção do Museu...tudo me fascinou.
    A sua terra é mesmo linda.

    Mais um beijo.

    ResponderEliminar