Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

domingo, 24 de janeiro de 2010

Acaso (versus) indeterminismo

Muitas das coisas que nos acontecem, acontecem um pouco por acaso, entendendo por acaso, aquilo que não podemos prever.

Ontem, no lançamento do livro de Carlos Vaz, a que já me referi duas vezes, conheci a pintora Isabel Ferreira Alves, autora de uma das ilustrações do referido livro (pag 24).


 Hoje consultei o seu blogue que já incluí nos meus favoritos. Para além de diversas mensagens com muito interesse, pude ver mais algumas das suas obras. Gostei muito. Para quem gostar de pintura abstracta (e não só…)aconselho a visita ao blogue

Mas voltando ao acaso não àquele que me tem permitido, ao longo da vida, conhecer pessoas muito interessantes …

O “acaso”, com carácter científico, é objecto de estudo matemático através do cálculo das probabilidades. Também na Física se faz referência ao acaso, por vezes associado gratuitamente (por não físicos obviamente) ao indeterminismo de certos fenómenos. Sabemos que a Natureza não é totalmente determinista. Na Física clássica, o acaso só emerge em grandes aglomerados de eventos ou coisas que se comportam individualmente de uma forma causal mas bastante independente, mas para muitos fenómenos do mundo sub-atómico não há realmente nenhum tipo de predestinação.A este propósito aconselha-se a leitura de VINTE E CINCO SÉC FÍSICA QUÂNTICA

Finalmente, o indeterminismo no poema a seguir é um  indeterminismo pessoal
Indeterminismo


O nosso Universo é quadrimensional,

a quarta dimensão é fundamental

e já não faz sentido a seta do tempo.

Daí eu não saber se este sofrimento,

esta angústia infinda que me invade o peito,

afinal é causa ou será efeito.
Regina Gouveia in Reflexões e Interferências

...

3 comentários:

  1. Regina mais um lindo poema que eu também já conhecia.Mas fica-me uma dúvida sobre o que escreveu antes. Haverá algum determinismo mesmo na Física clássica quando uma causa produz um determinado efeito? Esse efeito não depende sempre das condições em que o fenómeno ocorre? Ou estarei a dizer asneiras?
    Estou a ficar muiro ignorante.
    Um beijo Regina.

    ResponderEliminar
  2. Acredito no acaso e acredito que há pessoas que encontramos no momento exacto e na hora exacta. Já experimentei esse fenómeno várias vezes na minha vida. Terei deixado de conhecer muitas outras não por acaso, mas porque me furtei a socializar em diversos momentos que poderiam ser chave.
    Vou ver esse blogue. Gosto de conhecer coisas novas.

    ResponderEliminar
  3. Graciete.
    Creio que terá resposta à sua pergunta na Gazeta que indico na mensagem
    Virgínia, já foste ao site? Gostaste?
    Bjs às duas
    Regina

    ResponderEliminar