Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

domingo, 2 de julho de 2017

Enigmas da natureza


Ainda a propósito das flores dos catos a que me referi na mensagem anterior…

Quando disse ao meu marido que as tinha referido no blogue, enviou-me as fotos que tirara quando pela primeira vez abriram, todas ao mesmo tempo, na noite de 9 de Junho. Era lua cheia...



Pesquisando na NET encontrou referência a flores de catos que abrem precisamente em noites de lua cheia e duram poucas horas.


Ela só abre à noite.

Como o Girassol abre para o Sol, ela abre para a Lua.

Uma vez por ano, segundo dizem ,por umas 2 horas, as flores brancas dessa rara espécie de cactus (Selenicereus witti) se abrem numa noite de lua cheia no ano.



Ficou a aguardar a lua cheia de Julho...Só que abriram antes, mas todas (três) ao mesmo tempo.
Numa nova pesquisa na NET, encontrei uma outra referência que não faz alusão à meia noite

Existe um número relativamente pequeno de espécies de plantas com flores que abrem à noite e fecham durante o dia, entre elas o cacto Selenicereus grandiflorus,


A natureza é, de facto prodigiosa…
Vivemos nesta casa ( desde 1984) e temos o privilégio de ter um pequeno  quintal / jardim, o reino do meu marido, onde há de tudo um pouco ( obviamente, uma força de expressão), desde a horta miniatura ao pomar ( uma cerejeira, duas ameixoeiras, dois pessegueiros, dois limoeiros, uma laranjeira , uma tangerineira, uma oliveira, uma figueira e uma macieira) passando pelas ramadas, uma de videira, outra de de quivi sob a qual fazemos algumas refeições, sempre que o tempo o permite




Há também algumas(poucas) plantas ornamentais como  uma glicínia (que já floriu), no pátio do meu filho Miguel  e uma  buganvilia, agora exuberante




  Este ano tivemos muita fruta. Agora só têm frutos ainda verdes a figueira e a macieira .





















Ode à maçã

Amarelo, verde, rubro, o epicarpo da maçã
cobre o mesocarpo, saboroso.
No âmago do fruto, sementes no endocarpo,
que as aconchega, cioso.
Sensual, brejeira, da árvore pendia.
Eva não resistiu à sedução
Em longa cabeleira tombou, descuidada.
Newton desvendou a gravitação.
Na fruteira, impassível, exala um doce aroma.
O ar adormece, inebriado.
Resistir é impossível. Trinco-a.
Com volúpia saboreio o pomo sublimado. 
(Gouveia, R. 2017, in Quando o mistério se dilui na penumbra)

Neste fim de semana tenho tido algum tempo para mim. …

A minha neta mais nova foi mais uma vez acampar com os escuteiros. Os pais aproveitaram e foram, com o José, passar o fim de semana a Santiago de Compostela. A Rita teve ensaio de ballet (o espetáculo vai ser dia 15) pelo que teve que almoçar cedo. Assim, apenas vieram almoçar os pais e o irmão. Depois de almoço ficámos sós, pois após o ensaio iriam todos para Esmoriz onde a minha nora tem casa.


Agora  já é domingo.

Nos próximos dias 7 e 8 teremos o concerto de Verão da Teclarte, na Casa Das Artes, como é habitual.


Aproveitei para treinar um pouco a música (I ´m yours) que, juntamente com o meu neto e mais alguns alunos vou tocar dia 8 em ukulele




O José vai também tocar baixo nos dois dias (Moves Like Jagger ) e a Marta vai tocar piano, no dia 7 (Chopsticks).




Daqui a pouco vou buscar a Marta a Campanhã. Regressa do acampamento….



Sem comentários:

Enviar um comentário