Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Aniversários...

Regressei da aldeia no dia 4, como referi em mensagem anterior. Dia 5 tinha uma consulta no H. Sto. António, que aguardava há mais de um ano. Durante 6 meses e duas vezes por semana vou ter que fazer uma "ginástica" de recuperação da musculatura pélvica. Já fiz 7 sessões, uma coisa muito simples e breve (30 min cada sessão).
Os netos continuavam em férias pelo que continuei nas minhas funções de "babby sitter". Dia 8 dois deles iniciaram as aulas no Colégio Universal, no mesmo dia em que os outros dois retomaram, ao fim da tarde, as aulas de música. Mas para estes a escola só teria início no dia 15. Entretanto decorreu o aniversário de ambos: a Marta fez 6 anos no dia 13 e o irmão fez 11 no dia 14. Dia 15, quinta- feira, começou vida nova para a Marta. Entrou no 1º ano. Foi colocada na Escola do Bom Pastor (Agrupamento de Escolas Carolina Michaëlis) e vai ter como professora a mesma que o José teve no Carolina, onde à data funcionava o 1º ciclo. Eu gostaria muito que tivesse ficado na escola da Constituição ( do mesmo agrupamento) que fica a 200 m de minha casa, mas não havia vaga. Ao chegar à escola tivemos uma boa surpresa. A Francisca, neta da minha amiga Ana Maria (que conheci na escola de pintura), ficou na mesma turma.  As duas já se conheciam das aulas de ballet o que  facilitou desde logo a integração. Como estou e /ou comunico frequentemente com a Ana Maria já sabia que a neta tinha ficado na mesma escola mas só no dia é que ficámos a saber que estavam na mesma turma.
No dia seguinte, sexta feira,  começaram as aulas e vinham todas bem dispostas. Dizia a minha neta: É muito fácil, fazemos desenhos, brincamos...  Esperemos que continuem  entusiasmadas quando o trabalho começar a sério.
No sábado teve luar a festa de aniversário do José e no domingo  a da Marta(dada a diferença de idades as atividades têm que ser diferentes)

Há já algum tempo o meu filho mais novo, pai das duas crianças,  adquiriu um terreno perto da Lapa com vista a construir uma casa quando tiver possibilidade para  tal.  No interior do terreno existe uma pequena construção bastante degradada e, à volta,  um espaço relativamente grande que, ao que parece,  serviu durante algum tempo de parque de estacionamento. Como tem água e luz e uma casa de banho, embora rudimentar, fizemos  ali as duas  festas (aliás já acontceu o mesmo em 2015)
 Em ambas havia cerca de 20 crianças

Aqui ficam os programas que em termos genéricos eram iguais, mas com conteúdos diferentes

1-      Caça ao tesouro

2-      Lançamento de foguetões

3-      Lanche

4-      Teatro de fantoches

Havia ainda atividades variadas como andar de bicicleta/triciclo, brincar com bonecas, jogar a bola, etc. 
Ambas as festas tiveram como mascote uma aranha gigante, construída pelo meu filho e a ideia surgiu porque na casa, desabitada,  as aranhas são visitas frequentes... A par dessa aranha gigante, uma outra que era manipulada  em ambos os teatros, cujos textos  aqui deixo




Na festa do José em 2015, a figura "chave" do teatro foi a padeira de Aljubarrota, agora foi Miguel de Vasconcelos.
 A história vai sendo narrada pela aranha(A) 

 A
Sabem quem sou eu? Sou uma aranha de nobre condição. A tetravó da tetravó da tetravó da tetravó...... da minha trisavó, viveu no palácio com D. Sebastião. Sabem quem foi D. Sebastião?  
Era neto de D. João III que teve muitos filhos mas todos morreram novos sem herdeiro.
 Apenas um deixou sucessão. Assim nasceu Sebastião. 
Antes dele nascer o pai morreu e quando tinha 3 anos e meio o avô faleceu. 
Foi aclamado rei com que idade ?  Três anos e meio... parece mentira mas é verdade

D.S bebé entra e sai 
UE, UÉ  Eu num qué fagê ó-ó Eu qué fagê cócó 
UE, UÉ, Eu xou o ei, Eu qué fagê xixi aqui .

A
Acham que podia governar? Nem vale a pena perguntar . 
Primeiro ficou regente a avó D. Catarina, e por final o tio avô, que era Cardeal (C)

O cardeal entra e sai 
Eu sou o Cardeal D.Henrique

A
Com quantos anos D. Sebastião começou a governar ?
.
D.S entra e sai 
Fixe, meu….
Sou o maior, tenho catorze anos e sou Rei e Senhor.. 
 Em muitas batalhas quero entrar, todo o Norte de África quero conquistar. Um forte exército vou já organizar

A- 
Terá conseguido ou era um pouco convencido? 
Afoito, parte para a África em Junho de 1578; 
A 3 de agosto chega perto de Alcácer Quibir e logo a seguir, 
o exército cansado e esfomeado foi completamente destroçado. 
O rei morreu. Quem lhe sucedeu?

O cardeal entra e sai 
Cá estou eu de novo, a ter que aturar o povo

A
Em 1580 o Cardeal faleceu? Quem lhe sucedeu? 
Como o rei não deixara sucessão o trono passou para um neto do bisavô de D. Sebastião. Que grande confusão... 
Só que esse neto já era rei de Espanha. Que sorte tamanha ...Com dois reinos fortes ficou senhor do Mundo. Em Portugal era Filipe I e em Espanha era Filipe II.

Filipe I entra e sai 
Eu sou D. Filipe I  de  Portugal. Aqui passo eu a passo a mandar. Ai de quem as minhas ordens não respeitar

A
Quando Filipe I morreu, sabem quem lhe sucedeu?

Filipe II entra e sai
Eu sou DFII, um Senhor do mundo. Tudo em Portugal é meu e quem manda aqui sou eu...

A
Quando Filipe II morreu, sabem quem lhe sucedeu?

Filipe III entra e sai 
Eu sou DFIII, e aqui eu vou reinar Ai de quem as minhas ordens não acatar

A
Os portugueses, coitados, revoltados, durante 60 anos por espanhóis foram governados 
Haveria alguém contente?  Andava triste quase toda a gente. 
 Os portugueses não eram bem tratados, não ocupavam bons postos, eram sobrecarregados com impostos… 
Mas havia alguns traidores a quem os espanhóis tratavam como grandes senhores.
Sabem o nome de algum?

MV entra e sai 
Eu sou Miguel de Vasconcelos, 1º Ministro do Rei. Ele confia em mim, eu sei. 
Ai de quem não me obedecer… Nas masmorras irá apodrecer

Bobo entra e sai
O povo na rua grita “Traidores, raça maldita, fora, fora vão-se embora”

MV entra e sai
Quanto protesta essa gente! Masmorras com eles, imediatamente

Vozes- Ai, ai, ai...

A
Fartos de tanta opressão um grupo de conspiradores tomou uma decisão

Entram os conspiradores e voltam a sair
Não há outra solução, está visto. Temos que entrar no Palácio para matar o Ministro. 
Cautela temos que ter, senão somos nós a morrer…

Vozes- Fora, fora

O bobo entra e sai
O povo na rua grita . Traidores, raça maldita, fora, fora vão-se embora

Entra MV 
 Vou-me esconder nesta armário. Ai, valha-me S. Januário.
Estou aqui tão apertado, que ainda morro abafado

Entram os conspiradores
Procurámos nos aposentos, no gabinete, no salão, e nem sombras do vilão 
Onde se terá metido o bandido?

Ouve-se um barulho vindo do armário

Conspiradores.
Donde veio este ruído? Estará o traidor no armário escondido?

Abrem o armário e matam MV que atiram pela janela.

Bobo 
Ai que festa mais bonita . O povo na rua grita mas agora é de alegria
Viva Portugal Viva a Restauração. Viva o rei D. João.  Viva a nova dinastia

Aparece o Rei D. João 
Eu sou D. João IV, era duque de Bragança. De opressão estava farto, era tempo de mudança, 

Aranha
Terei prazer em vos servir Majestade. Em boa verdade, eu sou uma aranha de mui nobre condição. 
 A tetravó da tetravó da tetravó da tetravó..... da minha trisavó,viveu no palácio com D. Sebastião
FIM



Na festa da Marta estavam quase todas as amiguinhas do infantário mas da escola apenas esteve a neta da minha amiga Ana Maria pois só tinha havido ainda um dia de aulas com as novas colegas
Quis um teatro com bruxas.


(No decor há um espelho e um tacho com uma colher de pau dentro).
A apresentação foi feita pela aranha pequena(AP)
AP
Vejam que aranha gigante está ali adiante. 
É a aranha Cartucha. Vive nesta mansão que é por bruxas habitada;
faz parte da decoração tal como outra bicharada.

Entra a bruxa (Feiosa)
BF- Eu sou a bruxa feiosa. Espelho meu. Espelho meu. Há alguma bruxa mais feia que eu

Espelho(voz)- Não

BF-Adoro-te espelho meu (beijinhos)

Entra a B malvada
BM- Eu sou a bruxa malvada. Espelho meu. Espelho meu. Há alguma bruxa mais malvada que eu

Espelho- Não

BM-
Adoro-te espelho meu (beijinhos)

Entra o Crocão e sai no fim das falas
Eu sou o crocão. Espelho meu. Espelho meu. Há algum crocodilo mais mauzão que eu

Espelho- Não

Crocão 
Adoro-te espelho meu (beijinhos)

saem BF e BM


Entra a bruxa mandona BMAND
Eu sou a bruxa mandona. Do reino das bruxas sou dona. 
Quem manda aqui sou eu, não é verdade espelho meu?

Espelho- Sim

BMAND
Adoro-te espelho meu (beijinhos)

BMAND- Para uma jantarada estamos aqui reunidas Comecemos pelos aperitivos. 
Já estão todas no salão à espera da refeição


BMAND-
Oh bruxa invisível da cova escura(BICE). Manda-me uma dentadura, bem dura, um escorpião, uma osga, um aranhão, uma centopeia, uma barata e um cocó de leão. Deita tudo no caldeirão. Mexe, mexe com vigor. Quero sentir o fedor

BICE entra e vai repetindo ao mesmo tempo que coloca no caldeirão e mexe
. dentadura bem dura, escorpião, osga, aranhão, centopeia, barata e cocó de leão.

Ouve-se uma voz vinda de baixo
Que bom cheiro a podridão. Já chega aqui ao salão.

Saem BICE e o caldeirão

BMAND-
Continuemos com a refeição Com xixi de morcego, com teias de aranha , com muita entranha e pelos de cão mandei fazer uma sopa

É reposto o caldeirão e entra a BICE que vai mexendo, repetindo

BICE - 
xixi de morcego, teias de aranha , muita entranha, pelos de cão, que rica sopa

Ouve-se uma voz vinda de baixo
Já me cresce água na boca.

Regressam BM e BF 
Que fantástica refeição. A sopa, então, estava deliciosa


BM 
É uma receita famosa…


Entra o Crocão
Com que então não fui convidado para a refeição?Vou dar-vos uma lição….

Bruxas em coro 
Por favor, não, pedimos o teu perdão…..

Crocão 
Ponho uma condição para poder  perdoar. Com a aranha Cartucha quero casar.

Voz da aranha Cartucha- 
Quero-me casar,  quero. Há tanto tempo que espero. .

Saem as duas bruxas e entra a BMAN

BMAND 
Não e não. Nem pensar em tal ideia. Preciso da tua teia para decorar a mansão...

Crocão 
Então nada feito, como-vos todas a eito.

BMAND
Calma,calma, que eu já tenho  solução. Casam, ficam a viver na mansão e ambos servem de decoração.

Crocão e aranha Cartucha
Assim é que é falar . Do casamento vamos já tratar

BMAND 
Vamos preparar a boda, com o que houver de mais nojento, muito mijo e excremento, muito cuspo e suor , muito pelo de camelo, tudo com muito fedor,

Todos em coro

Queremos uma festa tremenda, mal cheirosa e bem horrenda.


Deixo fotos de alguns fantoches. Estão muito más porque já havia pouca luz quando me lembrei de os fotografar


D. Sebastião (com catorze anos e com três e meio)



Dois dos Filipes.....




























Um dos conspiradores ( que depois foi uma bruxa...)
Duas bruxas (na festa do José, com outras vestimentas , foram Miguel de Vasconcelos e outro Filipe)



Curiosamente, o José  uns dias antes da festa disse. 
Não quero teatro de fantoches nem caça ao tesouro. Já não sou nenhum bebé
Embora com intenção de respeitar a sua vontade, à cautela levei tudo preparado para o teatro  e para  a caça ao tesouro, mas nada foi anunciado. Os amigos chegaram, houve  lançamento de foguetões, jogaram à bola, andaram de bicicleta e a dada altura começaram a vir ter comigo:
Este ano  não há fantoches nem caça ao tesouro?
Falem com o José, respondi.
A dada altura apareceu o meu neto a pedir o teatro e a caça ao tesouro...


Divertimo-nos todos, adultos e crianças.

Depois foi a vez do lanche.....
No sábado (festa do José) eram já quase 20 h quando saíram os últimos colegas. Na festa da Marta eram quase 13h pois a festa foi domingo de manhã.


Sem comentários:

Enviar um comentário