Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

domingo, 22 de março de 2015

Mais uma vez pelas escolas


Nos passados dias 13 e 19 e a pedido da Porto Editora, estive em várias escolas com o livro Ciência para meninos em poemas pequeninos.
No dia 13 estive em Aradas, Aveiro. Estavam previstas quatro  sessões, duas de manhã e duas de tarde, mas duas das escolas fecharam por causa da greve.
Reorganizado o programa fiz duas sessões de manhã, em escolas diferentes. Em ambas tive alunos do 1º ao 4º ano, pois face à crise demográfica que o país atravessa há cada vez menos alunos. Numa das escolas havia apenas 4 alunos de 1º ano.  Por tudo isto,  voltou-se à situação de um professor com mais que um nível.
Os alunos estiveram muito participativos,   em particular na primeira escola. Não mostravam qualquer interesse em abandonar a sala,  não aparentavam o mínimo enfado, antes pelo contrário,  pelo que a sessão se alongou. Chegámos à 2ª escola com meia hora de atraso que compensámos ficando um bocadinho até mais tarde.Em representação de uma das turmas, duas meninas (Carina e Fátima, se a memória não me falha) vieram entregar-me uma flor feita com papel de lustro de  quatro cores, que fecha e abre, conforme tento mostrar a seguir.


                                                  
No dia  19, estive com alunos de  três escolas de Castelo de Paiva: Serradelo, Casal da Renda e Sobrado. Aguardavam-me não  só professores e elementos da Biblioteca  como também da Junta de Freguesia e da Câmara, nomeadamente o vereador da cultura, com os quais almocei. Uma vitela deliciosa....
As duas primeiras sessões (às 10  e às 11h)  foram nas respetivas escolas e a terceira, às 14 h,  foi na Biblioteca de Castelo de Paiva um edifício novo com bastante luz.


Em todas as sessões, os alunos estiveram muito empenhados, todos queriam ler e  intervir                                                       

Como recordação, para além do carinho com que fui tratada e do entusiasmo  das crianças, a medalha do município


No dia 20 estive na Escola da Estação em Valongo, a convite da escola.
Fiz três sessões com as crianças que tinham sido muito motivadas para a visita.

Numa das sessões as crianças, juntamente com a professora, começaram por ler o poema poesia, um dos poemas do livro  e, de seguida,  leram uma nova versão feita com textos seus.

A artista plástica Cláudia Moreira, que eu desconhecia, mas que faz uns trabalhos interessantes em papel, nomeadamente As Marias, tinha estado na escola a dinamizar, com as crianças do 1º ciclo, uma workshop sobre bonecas de papel. O tema era a poesia e por isso as crianças fariam as bonecas alusivas a autores que escolhessem. Fizeram  várias que vão  passar  pelas escolas do agrupamento, numa itinerância que  terminará na Biblioteca de Valongo. 
Tive a sorte de ser uma das autoras escolhidas. Aqui está a minha Maria O vestido reproduz a capa do livro Ciência para meninos em poemas pequeninos onde foram inseridos os títulos dos poemas.


Os professores têm o privilégio de lidar com gente nova  por isso tendem a  manter uma mente jovem-, referiu uma vez Augusto Abelaira num entrevista (as  palavras não terão sido exatamente as que escrevi mas o sentido era precisamente o mesmo).
Penso nessa frase muitas vezes, nomeadamente quando vou a escolas donde saio "rejuvenescida"...


2 comentários:

  1. Tu é que rejuvenesces as crianças :)

    Parabéns!
    As flores são deliciosas!

    ResponderEliminar
  2. Obrigada.
    Já tenho referido várias vezes que admiro estes professores que, apesar do desrespeito por parte do ME e não só, continuam com um entusiasmo contagiante.
    Claro que nem todos, mas sempre assim foi....
    Ab
    Regina

    ResponderEliminar