Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Aqui, mesmo ao lado...


No passado dia 28 estive na Escola Básica da Constituição, aqui mesmo ao lado de minha casa,  com três turmas de alunos do 1º ciclo , (3º e 4º ano).
A visita foi muito agradável pois as crianças estiveram extremamente interessadas. Algumas, no fim da sessão,  perguntaram  se eu não poderia  ir visitá-las todas as semanas.

Poemas do livro Ciência para meninos em poemas pequeninos  tinham sido trabalhado por  professores e alunos. Estes fizeram desenhos e poemas. Os meninos de 3º ano também  pintaram uma tela alusiva ao poema  Mar

Mar
Já brincaste com a areia e com as conchinhas do mar?
Já viste as ondas a ir,  para logo a seguir  voltar?
Encosta um búzio ao ouvido e fica atento a escutar.
Parece que se ouve o mar a contar os seus segredos.
Diz que se sente doente, que está muito poluído.  
Hoje é um petroleiro,  amanhã é um cargueiro 
que deita lixo para o mar.
E  também há muita gente
que deita na praia lixo, uma garrafa, uma lata,
uma pistola de  esguicho, uma embalagem qualquer.
Ora isso não pode ser  pois a poluição mata
as algas e os peixinhos.  Mata  até os passarinhos
que na areia vão pousar  ou água vão debicar
nas pocinhas dos rochedos.
Gouveia .R, in Ciência para meninos em poemas pequeninos

A tela, que me ofereceram,  vem acompanhada  deste texto:

A nossa inspiração foi...
"(...)Encosta um búzio ao ouvido e fica atento a escutar.

Parece que se ouve o mar a contar os seus segredos (...)



 

Para além do Mar, os poemas trabalhados por todas as crianças foram: Despertar, Astronautas, Rio.

Despertar

O Sol acordou estremunhado e virou-se para o outro lado.
Ai que sono tão profundo…
Precisava  de acordar. Tratou de se  espreguiçar,  os olhitos esfregou,
à pressa a cara lavou e nem sequer almoçou que já ia a hora tardia
neste cantinho do mundo que tinha que alumiar.
Assim que o sol despontou, um galo do seu poleiro  tratou logo de o saudar
Ora viva senhor Sol, có-có-ró-có-ró-có-col,   passe bem o dia inteiro.

Astronautas
Chamava-se Laika uma cadelinha que foi para o espaço; foi num foguetão
Viu o que até então nunca ninguém vira. Viu  de lá a Terra , uma bola azul,
que gira, que gira,  viu o pólo norte e viu o pólo sul .
Pobre cadelinha andou pelo espaço às voltas, coitada,
ficou muito ourada, não aguentou.  Não pôde contar o  que se passou.
Voltaram ao espaço,  passados uns anos, astronautas russos e americanos.
Os americanos  na Lua pousaram  e por  lá caminharam, sempre aos saltinhos,
com estranhos fatos, muito anafadinhos.
Vinham comovidos, quando regressaram
pois o  astro mais belo que dos céus se enxerga é um  planeta azul,
o planeta Terra.

Rio
Era um rio transparente,  cristalino, onde os peixinhos nadavam sem destino
 para um e outro lado. O rio cantava sempre uma melodia
de que  as pedras no fundo pareciam gostar.
Mas chegou um dia a poluição  e o som do rio,  em agonia,
era um som triste, desafinado.
Muitos meninos juntaram-se, então,  e decidiram o  rio limpar .
O rio voltou  a cantar e,  de contente, ofereceu  a cada menino um presente:
Uma pedrinha bem redondinha que repetia a melodia que o rio estava sempre a cantar.
Gouveia .R, in Ciência para meninos em poemas pequeninos

Fizeram imensos desenhos e poemas.  Todos mereciam aqui ser referidos mas, na impossibilidade de colocar tantos, deixo, por  ano de escolaridade, um  texto e um  desenho relativos a cada poema.



Despertar
Quando o dia nasceu
Parece que tudo se levantou,
O sol foi o primeiro.
O relógio tocou
Todas as pessoas acordaram
Porque é de dia
Temos alegria!
Toc, toc,toc,
O tempo acabou
Erguem-se flores
Levantem-se preguiçosos!
O dia já começou!          



Astronauta

Viajo pelo espaço
De galáxia em galáxia
Vejo as estrelas passar
Adoro vê-las a brilhar!
Um buraco negro eu vejo
E lá quero chegar,
Para ver o que lá se passa
Para o mundo contar.  

 Astronautas

Uma cadela
Chamada Laika
Foi ao espaço.
Viu coisas novas,
Que nunca ninguém viu.
Mas além de tudo,
Na viagem não sorriu.
Finalmente chegaram astronautas,
De muitos países.
E descobriram que,
A Terra é a mais bela. 



Rio

Na aldeia da minha avó,
Há uma festa junto ao rio.
Onde todos se reúnem,
Para dançar o corridinho.
Os pássaros cantam as músicas,
Os peixes fazem acrobacias.
Todos se divertem,
Junto ao rio das fantasias.          






Em PP que projetaram, pôde ler-se:

Obrigado
Regina Gouveia,
Pela sua presença
e pelo desafio proposto

EB constituição   2014/2015 

O agradecimento veio acompanhado dum ramos de rosas que não pude fotografar porque, terminada a sessão, fui para Trás-os-Montes.

Também eu agradeço a tarde tão agradável que ali passei.



2 comentários:

  1. As crianças são maravilhosas.....e os desenhos duma beleza inultrapassável....

    Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Tenho inúmeros desenhos todos eles fantásticos mas não posso colocá-los todos...
    Amanhã vou tentar passar pela Vivacidade, pelo menos para vos dar um bj
    Ab
    Regina

    ResponderEliminar