Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Por terras do Oriente-8


No dia 27 de manhã partimos para uma visita ao  Templo do Céu e ao parque Beihai


Entre as edificações mais importantes da época Ming, encontra-se o Templo do Céu, iniciado em 1420 e concluído em 1753. De planta circular, é  constituído por três pisos com telhados sobrepostos

O Templo do Céu é um complexo de templos  em Pequim, o maior do seu género em toda a República Popular da China. Foi construído no ano 1420 e tanto a Dinastia Ming como a Dinastia Qing o utilizaram para pedir a intercessão celestial para as colheitas (na Primavera) e dar graças ao Céu pelos frutos obtidos (no Outono). Desde 1998 que é considerado Património da Humanidade pela UNESCO.
Está situado no parque Tiantan Gongyuan, a sul de Pequim. O Templo do Céu inclui a norte a Sala de Oração pelas Boas Colheitas, a sul o Altar Circular e a Abóbada Imperial Celestial.
O conjunto está rodeado de uma muralha interior e outra exterior formadas por uma base rectangular que simboliza a Terra, rematadas com formas arredondadas para simbolizar o Céu. As muralhas dividem o recinto em duas zonas: a interior e a exterior. 

Sala da Oração pelas Boas Colheitas
Trata-se de uma construção circular, de diâmetro de 30 metros e altura de 38 metros. Construído sobre três terraços circulares de mármore branco, o edifício ergue-se sobre 28 pilares de madeira e muros de ladrilho. Não tem nenhuma viga.
A sala tem um triplo telhado construído com telhas de cor azul e está rematado por uma bola dourada na sua cúpula. Este edifício foi destruído por um incêndio em 1899 e reconstruído no ano seguinte.



Para além do templo há o Altar do Céu e a Abóbada Imperial Celestial



Uma planta do Templo do Céu com a Sala da Oração pelas Boas Colheitas (ao fundo), o Altar do Céu  abaixo e mais abaixo ainda a Abóbada Imperial Celestial 

O Altar do Céu é uma construção aberta que se liga à Sala da Oração pelas Boas Colheitas mediante um caminho de pedra e mosaicos, de mais de 350 metros de comprimento. Construído em 1530, o altar consta de três terraços concêntricos rodeados de varandins de mármore branco.
Cada lanço das escadas que conduzem ao cimo do altar é formado por 9 degraus, já que os chineses consideram o número 9 como número de boa sorte. A acústica especial do lugar permite ouvir em todos os lugares do espaço, os sons produzidos no altar. 

A Abóbada Imperial Celestial é uma construção muito parecida com a  Sala da Oração pelas Boas Colheitas, embora de  tamanho menor: 19 metros de altura por 15,6 metros de diâmetro.

Já referi  que gostei muito de ver, em todos os locais por onde passei, a ligação dos chineses à natureza.  Nos parques vêem-se caminhar, a cantar, a dançar,a tocar instrumentos giríssimos,  a praticar Tai-Chi, Kung Fu, a jogar jogos do tipo damas, ou simplesmente sentados à beira dos lagos existentes nos parques.









                                   




Após a visita ao templo do Céu fomos visitar o parque  Beihai, aberto ao público desde 1925, um jardim imperial a noroeste da Cidade Proibida, à qual em tempos esteve ligado.




Cerca de metade do parque é ocupado por um enorme lago artificial onde se podem ver grandes extensões de flores de lótus (o mesmo acontecia nos outros lagos que já referi)





 A criação de lagos artificiais permitia  a construção de colinas com as terras que eram retiradas para a construção dos lagos.
Na foto abaixo podemos ver uma stupa branca numa colina do parque Beihai



Terminada a visita ao parque fomos almoçar. Após o almoço  fomos visitar o Palácio de Verão, Património Mundial desde 1998(Unesco). Construído em 1750, durante a dinastia Quing, era refúgio dos imperadores para os dias de calor. O complexosituado a uns 12 quilómetros a noroeste do centro de Pequim, cobre uma área de aproximadamente 290 hectares. Dentro do terreno, por entre  uma densa vegetação, é possível contemplar pórticos, construções, escadarias, templos e torres com uma impressionante riqueza de detalhes. Para além de tudo isso há  um enorme lago Lago Kunming – onde podem ser feitos passeios de barco para visitar as ilhas existentes no mesmo e caminhar pela ponte dos dezassete arcos. Este lago foi criado artificialmente e com a terra resultante das escavações construiu-se uma colina- a colina da longevidade- de onde se pode ter uma vista privilegiada sobre o mesmo.








Foto do famoso Barco de Mármore, construído sobre as ordens extravagantes de Cixi, com fundos destinados à modernização da Marinha Imperial. 

Mais "histórias" sobre o palácio de Verão podem ser vistos aqui


Termino com um pequeno filme, feito no Palácio de Verão, que mostra como alguns de nós fomos "contagiados"...

                                     video



O dia seguinte seria o nosso último dia na China



As fotos  desta mensagem e o  filme são da autoria de Fernando Gouveia, arquiteto








Sem comentários:

Enviar um comentário