Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Final de ano lectivo


No passado domingo realizou-se mais um almoço de antigos alunos do Liceu de Bragança. 



Desta vez foi no Porto e quando assim acontece costumo ir, embora sofra sempre uma tremenda deceção ao encontrar muito poucos colegas. É certo que através desses poucos, vamos sabendo notícias de muitos outros .  Alguns, infelizmente,  já partiram.
O tempo que passei  em Bragança foi um dos melhores períodos da minha vida. A vida académica ali era intensa, especialmente a partir do 6º ano ( hoje 10º).  Nas ocasiões mais solenes trajávamos capa e batina.

 Uma dessas ocasiões era a comemoração do 1º de dezembro, em que eu participei ativamente quer através das danças, quer do teatro ( no 7º ano fui a atriz principal no papel de" Princesa das Águas" contracenando com o Gigante Adamastor ( o colega Luís Salazar que não voltei a encontrar após terminar o Liceu)

Perdi o texto e não consigo encontrá-lo na NET . Deixo um excerto de  Os Lusíadas, uma obra prima da literatura portuguesa...  
“Amores da alta esposa de Peleu
Me fizeram tomar tamanha empresa;
Todas as Deusas desprezei do Céu,
Só por amar das águas a princesa;
Um dia a vi, coas filhas de Nereu,
Sair nua na praia e logo presa
A vontade senti de tal maneira,
Que inda não sinto cousa que mais queira.”

Outra data festiva era o 10 de junho que coincidia com a festa de encerramento do ano lectivo. Aí participava nos  espetáculos de ginástica e de dança e, por vezes, tocava(muito mal...) acordeão e piano





Tudo isto veio a propósito do final de ano letivo. O meu neto José, que neste período foi transferido da escola do Bom Sucesso para o Carolina Michaëlis, onde concluiu o 3ºano do ensino básico, participou, no âmbito do “Projeto Criar”, num evento que decorreu na passada quarta feira. 


Sete meninos da turma cantaram, em inglês, a canção que segue 

Ontem  foi o sarau de fim de ano que teve início às 21 h. Assistimos no jardim, ao cimo das escadaria,  a uma série de atuações por crianças e jovens .Algumas tinham lugar na antiga Biblioteca, junto das varandas, para poderem ser vistas do jardim, outras na entrada da escola, entre os arcos e as portas .

Numa sessão bastante eclética com  poesia, música (de vários os géneros), bailado,teatro,  houve atuações de grande qualidade a par de outras mais fraquinhas. O José ficou até às 23 h ( a irmã adormeceu e o pai ficou com ela no carro) mas a festa continuou não sei até que horas ...

Protestou por ter que ir embora mas hoje, às 9 h teria que estar na escola novamente...

3 comentários:

  1. São muito interessantes estas festinhas escolares. Eu tenho boas recordações dos passeios e festas do meu tempo de estudante. E agora,de velho passa-se a menino, tenho imenso gosto e sinto-me feliz com as festas de fim de ano da UPP, em que temos representado uma peça preparada pela nossa ótima professora de História, Fátima Silva.
    Mas as festas que descreve, quer as do seu tempo como aluna , quer esta do seu neto, têm bastante nível.
    Um beijo grande.

    ResponderEliminar
  2. Não creio que seja por causa da idade.A Graciete tem um espírito muito aberto o que não acontece com muitas pessoas, quer jovens, quer mais velhas.
    Um gd abraço
    Regina

    ResponderEliminar
  3. Não consigo imaginar o Carolina com crianças! Embora os meus tenham andado no jardim infantil até aos 4 anos. Deve ser uma escola completamente diferente daquela em que leccionámos. O meu liceu em Lisboa também tinha festas de fim de ano, teatros, etc., mas preferia assistir a participar. Gostei imenos foi de fazer um Jornal de Escola com a Helena Salema ( depois Roseta). Adorava escrever e mesmo depois com os alunos fizémos muitos projectos com base na escrita. Nunca fui muito de teatros!
    Bjo

    ResponderEliminar