Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

quarta-feira, 27 de março de 2013

Feliz Páscoa


Com os netos em férias, as minhas funções de avó tomam-me muito mais tempo. Mas é compensador. É pena que o tempo não ajude. Quase não podemos sair de casa com esta chuva que cai impiedosa e que deprime. Em tempos escrevi o poema que segue.

 
Fustigada pelo vento,

a chuva pela janela escorre silente.

Adere à vidraça

e perde o aspecto de pingente

que a gravitação lhe conferiu,

ao deformar a esfera que já foi.

Indiferente à tensão, à gravitação

e à adesão molecular,

cinzento e lento o dia passa.

Ao longe ouve-se o  mar bramir, dolente.

 

Já que estamos em vésperas de Páscoa, aproveito para deixar um outro poema sobre a chuva, mas realçando o seu lado benfazejo.
Com esse poema, que já escrevi também há anos,  e mais um dos meus trabalhos sobre sacos de apanha da amêndoa/azeitona, criei o meu postal com votos de Boa Páscoa
 



 
 

3 comentários:

  1. Uma Feliz Páscoa para ti também. Gosto muito do teu quadro...e é claro, os teus poemas...sempre.

    Bjo

    ResponderEliminar
  2. É bom receber um voto de Feliz Páscoa como este seu. Muito lindo, que eu retribuo com toda a sinceridade, mas sem a sua arte.
    Os seus poemas são lindos e o segundo leva-me para um outro futuro.
    Obrigada Regina.
    Um beijo grande.

    ResponderEliminar
  3. Obrigada às duas.
    Um grande abraço
    Regina

    ResponderEliminar