Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Das artes plásticas à música e não só...

Hoje à tarde fui ver a exposição Reparos/olhares de Manuela Taxa no espaço mulfifuncional G`S Collection 8 (Avenida da Boavista 1521).
Trata-se de uma interessante coleção  de óleos, um deles  usado no convite.


De seguida fui ver, no espaço EDP, a exposição The Time Machine de Edgar Martins, de que deixo alguns dados



 
 
 
Como estava ao lado da Casa da Música decidi ir até ao bar da mesma e calmamente fui vendo o programa para todo o ano de 2013
Uma das obras  anunciada é A grande porta de Kiev de Mussorsky. Refiro esta obra porque, curiosamente, tenho-a ouvido nos últimos dias. Faz parte da obra Quadros de uma Exposição do referido compositor
Quadros de uma Exposição é uma peça (suíte) escrita para piano por Modest Mussorgsky em junho de 1874. Viktor Hartmann, arquiteto e pintor, grande amigo de Mussorgsky, havia falecido recentemente (1873) aos 39 anos de idade. Em março de 1874, estava acontecendo uma exposição de seus quadros em uma galeria de São Petersburgo. Após visitá-la, o compositor resolveu prestar uma homenagem ao amigo. Escolheu dez dentre os quadros expostos e compôs uma música para cada um deles. Uniu através de um tema comum (“Promenade”) as várias partes da peça. As músicas exploram a corrente folclórica russa e o estilo de piano é inovador em sua austeridade e ausência de tessitura(...)


Entre os quadros escolhidos encontra-se A grande porta de Kiev


 
Por fim, passei pela Book House no Brasília que continua a ter à porta uma mesa com livros em saldo. Comprei um, do qual deixo um poema.
 

 

 

 

 

 

2 comentários:

  1. Isso é que foi um plériplo cultural interessante.

    A cultura ainda continua a ser uma consolação nestes tempos de crise.
    Estou a ouvir uma entrevista com a Joana Vasconcelos e custa-me a acreditar como ela conseguiu conquistar o mundo inteiro com um tipo de arte incrível...falei dela em 2009 quando comecei a escrever o blogue. esta mulher conseguiu 1 milhão e 600 visitantes nas sua expo de Versailles. Controversa, sem dúvida....mas com uma simplicidade e classe extraordinária.

    Gosto do poema, muito simples...acredito nela totalmente...

    Boa noite!

    ResponderEliminar
  2. Grande e belo dia cultural.
    Quanto ao poema apenas duas palavras, apaixonantemente belo

    Um beijo, Regina.

    ResponderEliminar