Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

sábado, 24 de novembro de 2012

Desafios



Creio que já referi aqui mais que uma vez, o “acaso”  que me levou à pintura. Desde há vários anos que, nos poucos tempos livres, faço adereços reciclando materiais. Eis alguns exemplos:






O meu filho mais novo, talvez porque ligado às artes, sempre me incitou a frequentar uma escola de joalharia. Foi o que tentei fazer logo que me aposentei. Fui a uma aula para experimentar e, embora achasse muito interessante, não gostei da forma agressiva como a monitora me falava sempre que eu cometia qualquer erro. Mesmo assim resolvi inscrever-me. Na vez seguinte, logo no início da aula quis pagar , mas o dono pediu-me para o fazer no fim. A meio da aula, a dita monitora  “mandou-me” um berro tal  que me assustei. Peguei nas "trouxas" e não voltei à escola (nem paguei, obviamente). Vinha muito incomodada quando passei pela porta da escola UTOPIA e vi anunciadas aulas de pintura. Decidi inscrever-me por um mês, no pressuposto que seria apenas uma experiência que largaria ao fim desse tempo. Isto foi em Novembro de 2006 e ainda hoje continuo na escola. São várias as razões desde a simpatia dos donos ao bom ambiente da escola. Mas a razão fundamental reside no professor Domingos Loureiro que considero excepcional . Lança-nos vários desafios o que para mim é muito estimulante. Vou falar dos dois últimos . A escola organizou uma visita à exposição Vieira da Silva, O espaço e outros enigmas, na fundação EDP (Porto). Após a visita, guiada por Domingos Loureiro, este lançou-nos o desafio de pintar um quadro inspirado nas obra da artista. Alguns colegas fizeram cópias, outros, como eu, recriámos
Eis o que eu pintei



O segundo desafio consistiu no seguinte. O professor sugeriu que fôssemos a uma loja de artigos de construção civil e adquiríssemos algo, (custo máximo 5 euros) que à partida nada tivesse a ver com arte, mas que teríamos que transformar em “arte”. Escolhi pedaços de persiana.
Eis o trabalho



 Estes, juntamente com mais um trabalho sobre tecido de “saco da azeitona”, sãos os meus  trabalhos mais recentes.


5 comentários:

  1. Todos muito bons, Regina, tens progredido muito:)

    Gosto das persianas, são francamente fotogénicas. Ao vivo devem ser mais giras ainda.

    Parabéns!

    E um abraço ao Prof. Domingos.

    bjo

    ResponderEliminar
  2. Grande Escola , grande professor, grande aluna e sobretudo grande artista, a Regina.

    Um grande beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Graciete
      O professor é um grande professor e um grande artista. Quanto à aluna apenas é uma aluna entusiasmada...
      Um grande beijinho

      Eliminar
  3. Obrigada Virgínia
    O Domingos foi pai no dia 26 de Outubro e anda muito feliz. O menino chama-se Tomás e eu dediquei-lhe um "poeminha"
    Nasceu o Tomás
    É tão pequenino.
    Como uma mola, as mãozinhas agita,
    as perninhas encolhe e depois estica.
    Ainda não sabe por que assim o faz.
    Mais um tempinho e eis o Tomás
    que já senta e rebola.
    Um tempinho mais e já chuta a bola,
    esfola os joelhos, rompe a camisola.
    Depois, livros na sacola,
    lá vai o Tomás a caminho da escola.
    Mas por agora
    é apenas um bebé fofinho
    que chora, boceja,
    quando tem soninho.

    ResponderEliminar
  4. Que lindo!

    Deve ser bom ter o Domingos como professor quando se gosta de estar num atelier, o que não é o meu caso. Não consigo aprender em duas horas, distraio-me com o barulho e saio de lá sem chama.
    Lamento dizê-lo, mas só consigo pintar em casa, longe de tudo, no meu espaço. Se pudesse tinha aulas particulares com a Teresa Vieira, mas ela não quer...talvez vá lá ao jantar de Natal.

    E talvez um dia volte...mas para já tenho muito trabalho em mãos.

    Bjo

    ResponderEliminar