Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Os "tesouros" da minha adega...



Já em mensagem anterior falei da adega da minha casa na aldeia. Um "território" que tem vindo a ser desbravado ao longo dos anos. Tudo ali foi parar, durante anos e anos seguidos. Nas minhas “explorações” fui encontrando verdadeiros achados (para mim, obviamente) O mais importante foi um conjunto de poemas  do meu pai,  posteriormente publicados.
Entre as “preciosidades” encontradas neste Verão contam-se uns sacos de estopa bordados a que já fiz referência. Mas para além desses encontrei vários, de um tecido grosseiro, que eram utilizados na apanha da amêndoa e da azeitona.
Como também já referi, no passado dia 3 foi inaugurada na casa da Cultura em Alfândega da Fé, uma exposição da artista plástica Lourdes Sendas, exposição que poderá ser visitada até aos finais de Outubro.
O trabalho maior é feito sobre uma lona  (as lonas eram usadas essencialmente na apanha  da azeitona)
 (Outros trabalhos da artista podem ser encontradas aqui
Da utilização da lona surgiu-me a ideia de utilizar os tais sacos grosseiros para fazer também alguns trabalhos. 
Já aqui referi várias vezes que tenho o privilégio de ser aluna do artista plástico Domingos Loureiro
na escola Utopia 
Artista  com  um mérito já sobejamente reconhecido, Domingos Loureiro é também um excelente professor, tentando explorar as potencialidades de cada aluno de acordo com suas capacidades e interesses.
Apoiou de imediato a ideia.  Usei pigmentos que trouxe do Perú que, por indicação do Professor,  diluí
numa misturei de alvaiade ( pigmento branco que, entre outras utilizações, serve  para misturar na tinta e fazer sobressair as cores, na medida em que "impermeabiliza o tecido).
Eis dois trabalhos já produzidos (infelizmente  as cores nas fotografias estão bastante alteradas).
Tentei tirar partido da costura dos sacos, artesanal mas muito bonita.
As molduras são também "achados ". Encontrei-as  no caos da adega...

3 comentários:

  1. Olá Regina
    Mais uma vez parabéns por todas as suas qualidades.
    Admiro-a muito.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. Muito giros, Regina e boa ideia. Em tempos bordei em estopa com lâ e na minha casa antiga ainda está lá um painel por cima da cama com esse bordado a vermelho vivo.
    Com pigmentos nunca pintei, mas deve ser interessante. Pode-se sempre aproveitar o que fica esquecido. Infelizmente nunca mais voltei as casas onde vivi e deixei lá muitas coisas - até cartas de namoro - por lá esquecidas....

    Bjo

    ResponderEliminar
  3. Obrigada pelos vossos comentários.
    São trabalhos muito simples mas deu-me muito prazer fazê-los.
    Um gd abraço às duas.
    Não querem combinar um cafezinho a três?
    Ab
    Regina

    ResponderEliminar