Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

terça-feira, 21 de agosto de 2012

No “meu Nordeste”- continuação



Há muito que tenho o sonho de organizar na adega da casa um mini museu rural, um projecto antigo de que já aqui falei e que me  tem ocupado muito tempo.  Para além disso,  tenho dificuldades de acesso à Internet (está a ser muito difícil aceder na aldeia; geralmente tenho que me deslocar à vila), pelo que  não estou a escrever para o blogue com a frequência que desejaria, até porque há algumas coisas interessantes a relatar. O meu marido decidiu aderir ao projecto do museu. Temos-lhe dedicado bastante tempo. A seu tempo colocarei uma mensagem sobre o assunto, com algumas fotos.

Entretanto  dou continuidade à mensagem anterior

No dia 3, chegaram para jantar, os meus filhos noras e restantes netos.
Os que já cá estavam diziam Como é que uma semana pôde passar tão depressa?
Eram os ensaios para o teatro, era a piscina, era o parque infantil, eram as horas de leitura ( a minha neta leu 3 livros e o meu neto, que já está inscrito na Biblioteca de Alfândega da Fé, leu dois que trazia e um que requisitou na referida Biblioteca)…
Como estava anunciado, depois de jantar teve lugar a peça de teatro. Os pais dos “Paradas” não puderam estar presentes pelo que a peça foi representada de novo, no dia 4 às 14h 30 min…
É espantoso como as crianças levam estas coisas tão a sério…
No dia 5 fomos todos almoçar peixinhos do Sabor à taberna Santo Amaro. Tomei conhecimento do espaço através de um blogue que incluí nos meus favoritos e que dá notícias de Alfândega da Fé. È um bar recente, simpático, pequeno, a cerca de 3 km da minha aldeia, num lugarejo desabitado - a Legoinha. Em tempos  várias famílias ( cerca de meia dúzia ) habitavam no lugar que consta essencialmente duma praça  na qual existia uma capela muito bonita. Digo existia pois neste momento está em ruínas  e ninguém parece tomar qualquer iniciativa no sentido da reconstrução. É triste…
Antes do almoço e porque o lugarejo fica no caminho para o rio, fomos ao Sabor, que a barragem dentro em breve irá “afogar”.É triste também…
No regresso, e já a caminho de casa,  passámos pelo parque infantil de Vilarchão onde as crianças brincaram um pouco.
No dia 7 o meu filho mais velho fez anos. Manifestou vontade de celebrar o aniversário em Zamora ( Zamora e/ ou Salamanca são  visita obrigatória em Agosto, quando estamos na aldeia). Assim foram todos passar o dia ao Lago da Sanábria e dali foram para Zamora onde nós fomos ter com eles. Jantámos e dormimos em Zamora e no dia seguinte nós partimos mais cedo e fomos almoçar a Miranda do Douro. Os demais ficaram por Zamora e regressaram ao fim do dia, passando pelas piscinas em Mogadouro.
O dia 9 foi parcialmente “dedicado” à vila  ( a nossa , obviamente). Foram à piscina da vila, ao parque infantil, à exposição sobre arte africana na casa da Cultura Mestre José Rodrigues…
Dia 10 o meu filho mais novo regressou com a família ao Porto donde partiu depois para o Algarve com passagem por Lisboa (Oceanário, Pavilhão do Conhecimento,…). No dia 11 regressaram os restantes. A minha nora tem uma casa em Esmoriz e foram fazer uns dias  de praia.
Subitamente a casa ficou vazia…De início custa um pouco mas depois acaba por saber bem. Começa a haver tempo para  ler, pintar, aceder à NET….

3 comentários:

  1. Do Sudoeste para o Nordeste...aqui vai um abraço a desejar-te um final de férias igualmente proveitoso. Aqui só confraternizamos e vamos a banhos. Nada de supermercados, nem grandes cozinhados....ler, ouvir música , muita música lá fora no jardim à noite e a contemplação do mar e das rochas a todas as horas do dia.

    A mim, chega-me. Tenho os netos todo o ano e eles estão bem, falo com eles quase todos os dias pelo skype.

    Tb precisas de alguns dias de sossego para retemperar....

    As buganvílias mandam-te um beijinho....

    ResponderEliminar
  2. Vim à vila e por isso posso comnetar o teu comentário...
    Aqui não há as tuas buganvílias inesquecíveis mas também há muito para contempla. Ontem a Via láctea mostrou-se imponente. E há todos os dias o pôr do Sol, as estrelas bem visíveis num céu de breu os montes belíssimos e o rio que vai deixar de cantar. Dentre em breve não canta; tem um nó na garganta
    Um grande bj
    Regina

    ResponderEliminar
  3. Bonitas férias Regina. Cheias de amor, cultura e beleza.

    Um beijo.

    ResponderEliminar