Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Only nature can- continuação



As imagens que seguem não são telas expostas numa galeria. Referem-se a cristais  de ácido ascórbico (vulgo vitamina C). 







In fact all photomicrographs of Crystals are abstracts by nature, but the pictures in the next galleries do have a decorative quality that reminds one of abstract paintings.
Sometimes the touch of brush or pencil even seems visible.
But you're not looking at art in the usual way. Although some recognize the hand of certain artists, it's all no bigger than a millimeter. A whole museum on your fingernail.
No miniaturist in history ever accomplished that!
Only nature can.


 
Não são imagens tratadas digitalmente; as cores  e as formas são exactamente as vistas através de um microscópio de polarização.

O que são microscópios de polarização?  São microscópios que utilizam a luz polarizada para estudar os objectos observados

Em que consiste a polarização a luz ? 
Os vídeos anexos 1  e  2 bem como  os textos anexos 1 e 2 poderão ajudar a perceber

Para saber mais poderão ler aqui 

E por falar em coisas belas deixo o   Poema das coisas belas de António Gedeão e o Samba da bênção de Vinicius de Morais

As coisas belas,
as que deixam cicatrizes na memória dos homens,
por que motivos serão belas?
E belas, para quê?
Põe-se o Sol porque o seu movimento é relativo.
Derrama cores porque os meus olhos vêem.
Mas por que será belo o pôr do sol?
E belo, para quê?

Se acaso as coisas não são coisas em si mesmas,
mas só são coisas quando percebidas,
por que direi das coisas que são belas?
E belas, para quê?

Se acaso as coisas forem coisas em si mesmas
sem precisarem de ser coisas percebidas,
para quem serão belas essas coisas?
E belas, para quê?

in Poesia Completa Antonio Gedeão, Edições João Sá da Costa, Lisboa



3 comentários:

  1. Maravilhosas imagens. Que me dera poder experimentar um desses microscópios ( e tb telescópios para ver as galáxias), sempre achei lindíssimas as fotos do espaço, não há pintura que possa igualar a diversidade de cores e luz. Este poema de Gedeão faz-me lembrar outras de Alberto Caeiro, em que ele se interroga sobre a percepção das coisas.

    Continua que estou a gostar imenso e já me desteumas ideias para o meu novo projecto para o secundário. O inglês é uma língua maravilhosa:)))

    Bjo

    ResponderEliminar
  2. Que mais hei de dizer? Apenas reafirmar o que já disse no comentário ao outro"post".
    Só acrescento que"adorei o samba do Vinicius".

    Um grande abraço, Regina.

    ResponderEliminar
  3. Já visitei o site da senhora que descobriu estas maravilhas. Infelizmente escreve em holandês e não percebo pêva. Mas vou escrever-lhe em inglês e espero que me responda de modo a eu perceber:)
    Acho estas fotos fascinantes e adoraria ver isto ao vivo. Acho que vou comprar um microscópio para os meus netos:))

    Bjo

    ResponderEliminar