Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Teatro em Alfândega da Fé

Tal como anunciei em mensagem anterior, no passado dia 16 a peça "Breve História da Química" que escrevi propositadamente para o Ano Internacional da Química (que está a findar), e cujo livro  foi patrocinada pela Sociedade Portuguesa de Química, foi representada pela recém-criada Escola Municipal de Teatro Alfândega da Fé, no auditório da Casa da Cultura da referida vila.


Mas antes desse evento vou referir brevemente a minha passagem pela Escola Secundária de Penafiel que em tempo tinha manifestado interesse na minha presença, nesse dia 16. Como havia o compromisso com Alfândega da Fé, declinei o convite.

Posteriormente o editor manifestou vontade em ir, juntamente com a mulher, assistir ao evento em Alfândega da Fé. Apercebi-me de que, nessas condições já poderia ir a Penafiel. Saí de manhã com eles, fiz duas sessões em Penafiel e dali seguimos para Alfândega, onde o meu marido que saiu mais tarde do Porto, já estaria à nossa espera para almoçarmos juntos. Mas quase não almoçávamos pois, um pouco antes de Vila Real, estivemos parados cerca de 1h, por causa obras na A4.

Em Penafiel tive a grata surpresa de encontrar uma ex-estagiária muito empenhada no seu trabalho. Levou-me aos laboratórios, um luxo, e disse-me : Penso muitas vezes em si. Com o seu entusiasmo pela componente experimental imagino como gostaria de ter trabalhado em laboratórios como estes.

Embora estivéssemos com pressa ainda fomos ver uma exposição de mesas de Natal levada a cabo por alunos de 9º ano.

Sei que me vou repetir. Mas não posso deixar de exprimir a minha admiração por estes professores que tanto se empenham e tão pouco respeitados têm sido



Mas voltemos a Alfândega da Fé

Às 15 h foi apresentado o livro por dois amigos: Beatriz Magalhães, professora de Química aposentada, e José Lopes, director do Agrupamento de escolas.

 Logo a seguir houve uma representação da peça e houve uma outra às 21h. Nos três eventos, com o auditório sempre cheio, esteve presente a Presidente do Município, Drª Berta Nunes a quem se deve a iniciativa da criação da referida Escola Municipal de Teatro. Existe um protocolo com a Filandorra e o Dr. David Carvalho, do referido grupo, presta assistência à escola cuja dinamização in loco está essencialmente a cargo de Carlos Damasceno. Os actores vão praticamente dos 12 aos 70 anos mas a maioria são alunos do Agrupamento de Escolas. Há também alguns professores do mesmo agrupamento e outras pessoas da vila. Uma delas pelo menos, o jovem Luís Inocêncio, já integrou outros grupos de teatro.
O grupo teve apenas dois meses para ensaiar mas portou-se muito bem.











Aqui deixo o meu obrigada a todos.

6 comentários:

  1. Parabéns, Regina. Acabas o ano em beleza...bem mereces.

    Bjo

    ResponderEliminar
  2. Ainda se fazem coisas boas em Portugal e pessoas que as promovem e merecem toda a nossa admiração e reconhecimento.

    Um beijo grande, Regina.

    ResponderEliminar
  3. É sempre bom ver que gostam da nossa localidade.
    Bom ano

    http://alfandagh.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Graciete
    mMais uma vez presente.
    Um grande beijinho
    Regina

    ResponderEliminar
  5. Sandra Rocha
    Bem vinda ao meu blogue. Já fui consultar o seu, que desconhecia, mas que vou colocar nos favoritos
    saudações nordestinas
    Regina Gouveia

    ResponderEliminar
  6. Obrigada Regina, é um blogue recente os outros são mais antigos, este é só dedicado à minha terra :)
    Beijos

    ResponderEliminar