Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Meninos diferentes


Hoje, e mais uma vez a propósito da Breve História da Química, estive em Coimbra, no Agrupamento Alice Gouveia. Uma turma de 7º ano e cerca de uma dezena de alunos com necessidades educativas especiais, meninos diferentes, nalguns casos muito diferentes mesmo, muito ávidos de um carinho, de um abraço.

O grupo 3 Pancadas, grupo de teatro da Editora 7dias6noites, encenou alguns excertos da peça, com a simplicidade e graça que lhes é habitual. Todos os meninos gostaram. Pelo meio houve dois momentos musicais com alguns meninos a tocar flauta, trechos de Bach e Beethoven e eu ia conversando com os alunos, tentando explicar as “magias” exibidas no palco. Havia alunos muito participativos, pelo que a sessão correu muito bem.
A meio, uma menina diferente saltou para o palco; tentaram retirá-la mas reagiu com violência. Acabou por ficar no palco onde passeava e corria dum lado para o outro mas sem causar grande perturbação.

No fim, uma outra menina diferente, com alguma dificuldade em se fazer entender, mostrou interesse em ir ao palco fazer uma experiência. Com a minha “supervisão” “transformou água em vinho” ( leia-se uma solução básica de perborato que corou de carmim o indicador fenolftaleína…).Ficou radiante e mais ainda quando recebeu uma salva de palmas da assistência .

A Escola celebrava o aniversário de Marie Curie, que se vivesse teria completado hoje 144 anos. A professora de Física e Química levou-nos em seguida ao laboratório onde alguns alunos fizeram também algumas magias…

No átrio estava uma exposição sobre a homenageada, com trabalhos feitos pelos alunos.

Por fim fomos cantar os parabéns e apagar as velas num bolo feito, sob a supervisão da professora de apoio, pelos meninos diferentes, que uns melhor, outros pior, nos foram tentando explicar a receita.

Chamo-lhe meninos diferentes porque o são,  como são diferentes todos os meninos.



Menino diferente, tal como os demais,


pois não há no mundo dois meninos iguais


E cada diferença merece atenção


Vem comigo, vem.


Menino diferente, dá-me a tua mão


Juntos, de mão dadas,


sigamos em frente para ir mais além


Em troca, menino diferente,


peço-te um sorriso. Nada mais preciso

Regina Gouveia, não publicado



A terminar, gostaria de exprimir a minha admiração a todos os professores que conseguem fazer tantas coisas bonitas com meninos tão diferentes.

3 comentários:

  1. Tão importante o trabalho dos professores dedicado ao ensino de meninos deficientes. Admiro-os muito!!!!!
    E, a propósito de Marie Curie, ontem fui a uma sessão, na Unicepe, onde a Professora Raquel Maia fez uma excelente palestra sobre a vida de Madame Curie, com base no livro que sobre ela escreveu.
    Gostei muito.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Que pena. Não soube senão talvez tivesse organizado a minha vida de modo a ter podido ir
    Bjs
    Regina

    ResponderEliminar