Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

sábado, 22 de outubro de 2011

Mais uma vez no Nordeste

Quarta feira tive que rumar ao meu Nordeste. Rodeado de todo o carinho, faleceu um amigo, o patriarca de uma família numerosa.Tinha 96 anos mas até há bem pouco tempo mantinha o seu sentido de humor. Ainda recentemente, estava eu presente, quando uma neta se despediu. Avô, já vou para Paredes. Não vás, não precisas, paredes é o que mais temos aqui na aldeia. Era assim o Sr. Arnaldo. Há meses faleceu a esposa, uma senhora com um dinamismo impressionante, mas com Alzheimer nos últimos tempos. Tinha acabado de se adoptar o euro, um dia a filha mais nova chegou a casa com qualquer coisa que a mãe tinha encomendado. A senhora perguntou o preço e a filha respondeu 600 escudos. E, perante o meu espanto, a senhora, já com 81 anos, corrigiu de imediato “ três euros, se fazes favor”.

Entendam esta introdução como uma modestíssima homenagem que lhes presto.

Mas dizia eu que tive que rumar ao Nordeste. Na casa da Cultura de Alfândega da Fé, com a presença da Embaixatriz da China, foi inaugurada uma exposição de instrumentos musicais chineses. Muito interessante. Estará patente até 18 de Novembro. Não pude estar na inauguração mas deixo imagens (gentilmente cedidas pela Casa da Cultura) de alguns dos inúmeros instrumentos. Aproveito para  felicitar a CC, não só por mais esta iniciativa como também pelas anteriores e as que se anunciam, nomeadamente exposições de Nadir Afonso, José Rodrigues, Ana Maria Oliveira e Domingos Loureiro, entre outras


Réplica do instrumento  musical mais antigo, feito com pedaços de pedra que são percutidos
 

Outros instrumentos de percussão
 
 


 Alguns intrumentos de corda e sopro

1 comentário:

  1. Deve ser linda e interessante a exposição!!!
    Pena é o falecimento dos seus amigos que lamento muito, pois apesar da idade, quando há lucidez a morte é uma injustiça ainda maior.

    Um beijo.

    ResponderEliminar