Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

domingo, 17 de julho de 2011

A morte é a curva da estrada...


A morte é a curva da estrada é o título de um poema de Fernando Pessoa  cujos primeiros versos são:


A morte é a curva da estrada,



Morrer é só não ser visto(…)

Tenho uma péssima relação com a morte. Não com a minha,  que não temo, mas com a dos outros, particularmente com a daqueles cuja partida é para mim demasiado cruel.
Porquê, então,  falar da morte neste blogue? No passado dia 11 faleceu subitamente o Dr. Fernando Augusto Morais, presidente da Fundação Dr. Luís Araújo, instituição dedicada à ação social, formação profissional, investigação científica e promoção da cultura, fundação  no âmbito da qual foram criados o Instituto das Artes e Ciências e  o Clube Literário do Porto
Pelo enorme contributo que deu para a cultura na cidade do Porto, achei que lhe devia prestar a minha modestíssima homenagem. Nesse sentido, publiquei na revista on-line, Textualino,  o texto Os vivos ouvem poucamente

5 comentários:

  1. Na morte também o que mais me incomoda é a saudade de deixar aqueles que amo.
    Para além disso vejo-a como um ciclo natural que acontece a qualquer elemento deste nosso Universo.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. Aflige-me mais o sofrimento que precede a morte, a solidão, o envelhecimento, a perda do gosto pela vida ou doenças que alteram a maneira de ser do indivíduo, transformando-o numa pessoa diferente.
    A morte é um mistério...os que ficam é que perdem, penso eu, porque sentem duramente a falta daqueles que às vezes , em vida, não foram tão apreciados quanto deviam. Ou então, porque os amavam tanto....

    ResponderEliminar
  3. Obrigada às duas pelos vossos comentários que complemento com algumas citações
    "O homem morre a primeira vez quando perde o entusiasmo."(Balzac)
    "A extensão do 'nunca mais' com a tua morte vai até à morte do universo. E é sobretudo isso que a torna incompreensível." (Vergílio Ferreira)
    "Alguns cessam de viver antes de começar a viver." (Séneca)
    "O homem morre tantas vezes quantas vezes perde os seus." (Públio Siro)
    "Se a morte fosse um bem, os deuses não seriam imortais." (Safo )

    ResponderEliminar
  4. Espantosas estas citações...acredito que ao morrermos vamos fazer parte do universo e por isso acho que Virgílio Ferreira tem razão. Há tanta coisa que ainda não sabemos, mas duma coisa estou certa é que estar aqui neste momento com s meus dois netos bem junto a mim e os meus três filhos já adultos me enche de alegria e a isto chamo Vida , chamo Felicidade, chamo Benesse.

    Boas ferias para as duas!
    Bjo

    ResponderEliminar
  5. Temos sido privilegiadas. Hoje o meu filho mais velho comemorou os 14 anos de casado(jantámos todos) e o mais novo tornou-se "Mestre". Para a semana será a mulher a tornar-se doutora...

    Um ab
    Regina

    ResponderEliminar