Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Na Kontra Ka Kontra

Na Kontra Ka Kontra é o título de um livro da autoria de Fernando Gouveia e que vai ser apresentado no próximo dia 7, pelas 17h no espaço Vivacidade , Rua Alves Redol, 364 B(entrada pelas traseiras do prédio).

Fernando Gouveia esteve na Guiné (antiga colónia portuguesa, hoje Guiné Bissau), de 1968 a 1970, como alferes miliciano. Eu também lá estive nesse período mas por breves estadias.

Embora não tivesse estado na frente de combate (salvo durante uns 15 dias), terminada a comissão, Fernando Gouveia quis cortar com tudo que lhe lembrasse a guerra (não a Guiné, nem o seu povo).

Há cerca de dois anos, por mero acaso, tomou conhecimento do blogue Luís Graça e camaradas da Guiné . Reencontrou vários camaradas e, acima de tudo,  deparou com uma fraternidade grande entre pessoas que estiveram em frentes opostas nos campos de batalha. Começou a sentir necessidade de rever aquele território. Esteve na Guiné há um ano e espera voltar. A partir daí passou a participar activamente em iniciativas em prol do povo da Guiné-Bissau. Uma delas foi o livro a que se faz alusão, cujo lucro será integralmente dedicado às crianças guineenses, conforme está explicitado na capa.


Começou por surgir em forma de episódios no blogue já referido. Por sugestão de inúmeros leitores, foi convertido em livro onde a personagem principal, se vê envolvida numa série de aventuras que foram vividas realmente não por uma só pessoa, mas por várias que a personagem incarna.

Fernando Gouveia inicia-se na escrita com este livro mas um dos seus hobbies é a fotografia. No mesmo espaço (Vivacidade) em que já expôs fotografias da Guiné “Memórias Paralelas da Guerra Colonial: Guiné 1968-70″, será inaugurada, no mesmo dia do lançamento do livro, uma exposição que mostra bem todo o sentido da frase de Antoine Saint-Exupéry : o essencial é invisível para o olhar.


Trata-se de uma série de fotografias de flores selvagens, algumas minúsculas, pelas quais passamos sem darmos conta, mas cuja beleza a macro de Fernando Gouveia captou com mestria.

A exposição estará patente ao público de 4 de Julho até 5 de Agosto

3 comentários:

  1. Removi a mensagem anterior porque me enganei no comentário. Mas aqui deixo agora um novo comentário em que participo que no dia 7 lá estarei para a inauguração do livro do seu marido, para o conhecer e para lhe dar a si ,pessoalmente, um grande abraço.

    Um beijo, com muita amizade.

    ResponderEliminar
  2. Naná,

    Um beijinho muito grande de parabéns para si e para o seu marido, pelo livro, pela exposição e pelo blogue, que se tornou um lugar de visita para mim. Desde as férias na neve!

    Cristina

    ResponderEliminar