Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Falando de biodiversidade…

 A propósito da biodiversidade convido-os a ler um texto de que aqui deixo excertos


"Um desenvolvimento só será sustentável se houver preservação da Biodiversidade, o que não tem vindo a acontecer em parte alguma no Globo. É isso que os governos, políticos, industriais, assim como todas as pessoas necessitam, urgentemente, de perceber.(…)

É fundamental que todos se capacitem que sem a Biodiversidade não sobreviveremos e, quanto mais elevada ela for, maior a probabilidade de sobrevivência da nossa espécie. Os outros seres vivos não são só a fonte dos nossos alimentos: como também das substâncias medicinais que utilizamos (cerca de 8o% dos medicamentos são extraídos de plantas e 90% são de origem biológica); do nosso vestuário (praticamente tudo o que vestimos é de origem animal ou vegetal); da energia que necessitamos (lenha, petróleo, ceras, resinas, etc.); da maioria dos materiais de construção e mobiliário que usufruímos; etc. Até grande parte da energia hidro-eléctrica que consumimos não seria possível sem a contribuição de outros seres vivos, pois embora a energia eléctrica possa estar a ser produzida pela água de uma albufeira esta tem de passar pela turbinas e estas precisam de óleos lubrificantes. Esses óleos são extraídos do «crude» (petróleo bruto), que é de origem biológica. No entanto, em vez de preservarmos a Biodiversidade temos vindo a diminui-la drasticamente. No passado já utilizámos cerca de 10.000 espécies de plantas na nossa alimentação, mas actualmente a base alimentar dos países industrializados baseia-se em cerca de 20 espécies de vegetais, entre os quais, 8 espécies de cereais (milho, milho-miúdo, arroz, trigo, centeio, cevada, aveia e sorgo) e em carne de apenas 5 espécies de animais (porco, frango, vaca, ovelha, cabra). Durante a minha já longa vivência (curtíssima para a idade da terra) desapareceram inúmeras espécies, quer animais, como, por exemplo, o pato-das-marianas (Anas oustaletis), dado como extínto em 1981 e a foca-monge-das-caraíbas (Monachus tropicalis), dada como extínta em 2008; quer vegetais, como, por exemplo, o azevinho-da índia (Ilex gardneriana), dado como extínto em 1998 e a Armeria arquata, do litoral Sul de Portugal, não observada há mais de um século; quer de outros filos como o cogumelo-quinino (Fomes officinalis), que não contém quinino e, que apesar de ser um dos cogumelos mais compridos e ter uma vida média de cerca de 50 anos, está extinto na Europa (actualmente só ocorre na América do Norte) por excessiva colheita devido aos seus atributos medicinais(…).
"Sem elevada Biodiversidade a Humanidade não sobreviverá."


Nas minhas visitas a escolas, foi-me mais que uma vez sugerida por professores, a escrita de textos com diálogos,  para serem trabalhados com os alunos.

Escrevi já uns tantos textos que espero publicar (não sei é quando) e um deles é sobre a biodiversidade.

É com esse texto que termino esta mensagem
O bosque frondoso e o abeto curioso

Um enorme cartaz, no bosque frondoso, deixou intrigado um abeto curioso.
Pediu à sequóia que estava a seu lado:

Abeto
Vê lá se és capaz de ler o que diz.

Sequóia
No cartaz está escrita esta frase bonita: Viva a biodiversidade.

Abeto
E o que quer isso dizer? Estou com curiosidade

Sequóia
Bio quer dizer vida; diversidade, diferença.
Da formiga ao elefante, da amiba a um insecto,
Da centopeia à baleia, do musgo, ao limo, ao abeto…

Abeto
E à sequóia gigante…


Sequóia
Somos todos diferentes com alguma parecença.
Somos seres vivos diversos, pelo planeta dispersos.

Abeto
E existe nisso algum mal?

Sequóia
Pelo contrário. É normal e também muito importante para a vida do planeta.

Abeto
É o alerta do cartaz?

Sequóia
És uma árvore esperta…
Alerta para que a vida, animal ou vegetal,  seja toda protegida.

Abeto
Mas que ideia tão feliz!

Sequóia
Muito feliz, realmente, pois espécies que existiram,
há já muito se sumiram.

Abeto
Que aconteceu afinal?

Sequóia
Por vezes foi natural a razão da extinção.
Foi assim com os dinossauros.
Mas também, infelizmente,o homem, ser imprudente,
o planeta tratou mal sem ter preocupação com a bio - preservação.

As imagens que seguem são da autoria de Fernando Gouveia. Trata-se de fotos em macro, tiradas em terrenos incultos, a minúsculas flores selvagens ( raramente ultrpassam 1 cm de diâmetro) e que fazem parte de uma colecção que o autor intitula Flores que não existem porque,  apesar de existirem,  não damos por elas.









2 comentários:

  1. Fotos mais lindas, Regina!
    Eu, que nasci e sempre vivi na cidade,quase nem me apercebo da maravilha das flores silvestres. Mas sei que são muito belas.
    Quanto à biodiversidade, o ser humano na sua ânsia de obter de tudo o maior lucro possível, vai destruindo o que é absoluramente indispensável à sua sobrevivência. Que animal tão irracional é, em geral, o ser humano.
    Gostei muito do seu diálogo.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. Excelente entrada que é um bom princípio de ano.
    No meu blogue, refiro um outro que descobri recentemente, chamado "Dias com árvores", onde se apresenta uma planta nova todos os dias e um texto relacionado com a Natureza e essência de cada ser e do Homem. Os comentários são muitos e muito interessantes.
    As fotos do Fernando são lindíssimas.
    Nas rochas da Luz descobri este ano um enorme grupo de seres silvestres, que nascem espontaneamente por entre os sulcos deixado pela água...tirei fotos embora sem esta qualidade, não tenho teleobjectivas, apenas uma máquina digital pequena.Coloquei-as no blogue nessa altura-
    Também lá tenho uma canção com letra irónica e tipicamente inglesa com uma história em que os áceres se revoltaram contra os carvalhos, queixando-se de que estes lhes tiravam a luz do sol; reunidas, as árvores da floresta decidiram cortar todas do mesmo tamanho, usando a serra ou o machado. Chama-se Trees e pode ser encontrado através da pesquisa do blogue.Traduzida podia ser óptima para as crianças pois é uma fábula.

    Vivamos em biodiversidade.

    Um óptimo 2011 para ti e família.

    ResponderEliminar