Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

domingo, 28 de novembro de 2010

Descoberto planeta noutra galáxia

Os excertos que a seguir incluo pertencema um texto publicado em 18/11 na revista on-line Ciência Hoje

Canibalismo galáctico expõe exoplaneta de origem extragaláctica
Primeiro planeta extra-galáctico. (Crédito: ESO/L. Calçada)

Utilizando o telescópio MPG/ESO, de 2,2 metros, instalado no Observatório de La Silla do Observatório Europeu do Sul (ESO), no Chile, uma equipa europeia de astrónomos detectou um exoplaneta em órbita de uma estrela que entrou na nossa Via Láctea vinda de outra galáxia. O planeta semelhante a Júpiter é particularmente invulgar, já que orbita uma estrela que se aproxima do final da sua vida e pode ser engolido por esta a qualquer momento. A descoberta fornece pistas importantes sobre o destino do nosso próprio sistema planetário, num futuro. Os resultados são hoje publicados na revista «Science Express».(…)


Durante os últimos 15 anos, os astrónomos detectaram 500 planetas em órbita de estrelas da nossa vizinhança cósmica, mas nunca nenhum foi confirmado fora da Via Láctea. Este, com uma massa mínima de 1,25 vezes à de Júpiter foi encontrado em órbita de uma estrela de origem extragaláctica, embora se encontre actualmente no interior da nossa própria Galáxia. (…)


A estrela, conhecida por HIP 13044, situa-se a 2000 anos-luz de distância, na constelação austral da Fornalha. Os astrónomos detectaram o planeta, chamado HIP 13044 b, ao procurar minúsculas oscilações da estrela causadas pelo puxão gravitacional de um companheiro em órbita.(…)Para o tornar ainda mais famoso, é igualmente um dos poucos que sobreviveu ao período de expansão da sua estrela hospedeira, depois de esta gastar todo o hidrogénio do seu núcleo. A estrela contraiu-se novamente e está agora a queimar hélio no seu centro(…)


“A descoberta faz parte de um estudo no qual estamos sistematicamente à procura de exoplanetas que orbitem estrelas que se aproximam do final das suas vidas,” diz Johny Setiawan, também do MPIA, que liderou a equipa. “É particularmente interessante quando consideramos o futuro distante do nosso próprio sistema planetário, uma vez que o Sol também se tornará numa gigante vermelha dentro de cinco mil milhões de anos”(…)


O HIP 13044 b encontra-se próximo da sua hospedeira, ou seja, no ponto mais próximo da sua órbita elíptica, está a menos de um diâmetro estelar da superfície da estrela (o que corresponde a 0,55 vezes a distância Sol - Terra). Completa uma órbita em apenas 16,2 dias e Setiawan e colegas pensam que esta seria inicialmente muito maior, mas que se teria deslocado para o interior durante a fase de gigante vermelha8…)


Embora HIP 13044 b tenha escapado ao destino, pode estar prestes a ser engolido pela estrela, o que significa que afinal sempre esteve condenado(…).






Este texto muito interessante lembrou-me alguns textos poéticos, para leitores diversas  idades,  que aqui deixo, em excertos ou na íntegra.



….Presos sem grades somos


E assim presos vogamos pelo espaço à mercê de um braseiro,


roendo as unhas limpas, sem ferrugem.


Ontem eras tu frio; hoje são outros; amanhã outros outros;


e assim pelo tempo fora


até que, também ele, o tal dragão magnífico,


o indispensável centro do carrocel celeste em que penamos,


como tu, como eu, como um qualquer de nós, acabará em frio…

Gedeão, A. in Poema das mãos frias in Novos poemas Póstumos


….Mas o Dono da Tabacaria chegou à porta e ficou à porta.


Olho-o com o desconforto da cabeça mal voltada


E com o desconforto da alma mal-entendendo.


Ele morrerá e eu morrerei


ele deixará a tabuleta, eu deixarei versos .


A certa altura morrerá a tabuleta também, e os versos também.


Depois de certa altura morrerá a rua onde esteve a tabuleta


E a língua em que foram escritos os versos.


Morrerá depois o planeta gigante em que tudo isto se deu….


Álvaro de Campos, Tabacaria



Via Láctea


Hoje, ao olhar o firmamento, na direcção de Cassiopeia e de Perseu


deparei com algo, que não via no céu há muito tempo.


Na nossa galáxia espiral, milhões de estrelas em cintilação


definiam como que uma estrada, uma mancha difusa, esbranquiçada.


Muitas delas já nem estrelas serão pois as estrelas,


como qualquer mortal, também nascem, crescem e fenecem.


A mitologia, que sempre alimentou a humana fantasia,


tem, para a dita estrada, outra explicação.


Júpiter que, apesar de ser deus, de galáxias e estrelas nada percebia,


decidiu criar no céu aquela via


E assim, enquanto Juno o filho amamentava, pelo céu algum leite derramava.


O que Júpiter jamais suspeitaria é que tal via,


mais tarde serviria a uma outra fé, num outro deus.

Regina Gouveia, não publicado



Um dia
Um dia o sol há-de deixar de brilhar


E a terra- os continentes e oceanos…


Mas não há razão para te preocupares


Ainda faltam milhões de anos

(Jorge Sousa Braga em Pó de estrelas)

1 comentário:

  1. Todos nós teremos o mesmo destino deste imenso Universo que conhecemos. Então porque não tentamos criar uma vida diferente no pequeno espaço onde vivemos?
    É uma angústia pensar como os seres humanos se destroem a si próprios e à sua própria casa!!!! Quando chegará o dia em que todos possamos ser mais felizes?

    Um beijo muito amigo, Regina.

    ResponderEliminar